EFE
EFE

Funeral de Manoel de Oliveira reúne autoridades e artistas

Cineasta português morreu nesta quinta aos 106 anos

EFE, O Estado de S. Paulo

03 de abril de 2015 | 18h05

Com a presença das principais autoridades de Portugal e artistas como John Malkovich, foi realizado nesta sexta-feira na igreja Cristo Rei, no Porto, o funeral do cineasta Manoel de Oliveira, que morreu ontem aos 106 anos. O presidente português, Aníbal Cavaco Silva, e o primeiro-ministro, Pedro Passos Coelho, participaram da cerimônia.

O ator americano John Malkovich, que trabalhou com Oliveira em três filmes, também estava presente no funeral, que antecede um cortejo fúnebre que levará o corpo do diretor português para o cemitério de Agramonte. Dezenas de admiradores se reuniram ao redor da igreja. O governo decretou dois dias de luto e a prefeitura do Porto, três.

Manoel Candido Pinto de Oliveira, que morreu em sua cidade natal, era considerado o cineasta mais reconhecido internacionalmente de Portugal. O diretor era a maior figura cultural do país após a morte do escritor José Saramago, em junho de 2010.

Durante quase um século de produção, no qual foi testemunha da transição do cinema mudo para o falado, o diretor produziu quase 60 filmes e recebeu vários prêmios internacionais. Sua obra é muito elogiada na Europa e Brasil. Francisca, O convento, Viagem ao princípio do mundo, A divina comédia e Um filme falado (2003) são algumas de suas obras mais emblemáticas, a maioria feita quando ele tinha mais de 80 anos.

Tudo o que sabemos sobre:
Manoel de Oliveiracinema

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.