Div
Div

Francês Patrick Modiano é o Prêmio Nobel de Literatura de 2014

Escritor foi anunciado pela Academia Sueca na manhã desta quinta-feira

O Estado de S. Paulo

09 de outubro de 2014 | 08h01

Atualizado às 9h01.

O francês Patrick Modiano recebeu o Prêmio Nobel de Literatura de 2014. O escritor de 69 anos tem seus trabalhos centrados em tópicos como a memória, o esquecimento, identidade e culpa, de acordo com a Academia. O escritor foi premiado "pela arte da memória com a qual ele evocou os mais inapreensíveis destinos humanos e descobriu o mundo real da ocupação [nazista na França]".

Seu romance Rue des Boutiques Obscures já havia vencido o prêmio Goncourt (mais importante da França) em 1978.

Modiano tem parte de sua obra publicada no Brasil. A edição mais recente por aqui é o livro infantil Filomena Firmeza, publicado pela editora Cosac Naify com ilustrações de Sempé e tradução de Flávia Varella. Suas obras publicadas pela editora Rocco, como Ronda da Noite, Uma Rua de Roma, Meninos Valentes, Do Mais Longe do Esquecimento e Vila Triste, podem ser encontradas em sebos.

Seu pai era um judeu de origem italiana e conheceu sua mãe, uma atriz belga, durante a ocupação de Paris na Segunda Guerra Mundial - e esse ambiente influenciou de fato a literatura de Modiano.

O mundo judeu, a ocupação nazista e a perda de identidade são temas recorrentes nos seus romances, que incluem La Place de l'Etoile, de 1968, mais tarde aclamado na Alemanha como um trabalho chave do pós-Holocausto.

Modiano deve sua primeira publicação por uma grande editora a um amigo de sua mãe. O também escritor francês Raymond Queneau o apresentou a editores da Gallimard quando Modiano tinha pouco mais de 20 anos.

Atualmente, o mais recente Prêmio Nobel vive em Paris e concede poucas entrevistas à imprensa.

"Ele é um nome bastante conhecido na França, mas não sei se nos outros lugares", disse o secretário geral da Academia, Peter Englund, em entrevista logo depois do anúncio. "Ele escreve muito sobre Paris, sobre os setores íntimos da cidade, é uma parte importante da sua literatura. Também não é um escritor difícil. Tem uma linguagem simples, mas ao mesmo tempo as composições dos romances são muito elegantes. Você pode muito bem ler os seus livros à tarde, jantar e à noite ler outro", conclui Englund. / COM AGÊNCIAS INTERNACIONAIS



Veja os últimos vencedores do Prêmio Nobel

2013: Alice Munro, Canadá

2012: Mo Yan, China

2011: Tomas Transtromer, Suécia

2010: Mario Vargas Llosa, Peru

2009: Herta Mueller, Alemanha

2008: Jean-Marie Gustave Le Clezio, França

2007: Doris Lessing, Grã-Bretanha

2006: Orhan Pamuk, Turquia

2005: Harold Pinter, Grã-Bretanha

2004: Elfriede Jelinek, Áustria

2003: J.M. Coetzee, África do Sul

2002: Imre Kertesz, Hungria

2001: V.S. Naipaul, Trinidad

Notícias relacionadas
    Tudo o que sabemos sobre:
    LiteraturaPrêmio Nobel

    Encontrou algum erro? Entre em contato

    Tendências:

    O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.