Div
Div

Flink Sampa junta autores africanos e brasileiros

Evento em São Paulo presta homenagem a Carolina Maria de Jesus e tem mesas e lançamentos durante todo fim de semana

Guilherme Sobota, O Estado de S. Paulo

21 de novembro de 2014 | 20h00

Mais um evento da temporada presta devida homenagem à escritora mineira Carolina Maria de Jesus (1914-1977): ela é o estandarte da Afroétnica Flink Sampa – Festa do Conhecimento, Literatura e Cultura Negra de São Paulo, entre este sábado, 22, e domingo, 23, no Memorial da América Latina (Av. Auro Soares de Moura Andrade, 664, Barra Funda). Na semana da Consciência Negra, o evento traz a São Paulo desde ativistas políticos africanos, como Graça Machel, viúva de Nelson Mandela, até escritores e artistas brasileiros como Paulo Lins, Max BO, Jair Oliveira e Lecy Brandão.

A Festa da Literatura Afro do Flink Sampa ganha destaque na profusão de eventos programados para o fim de semana. Estarão por aqui escritores como os angolanos Lupito Feijóo e Isabel Ferreira, a moçambicana Paulina Chiziane e a cabo-verdiana Vera Duarte, que conversarão com vários outros escritores brasileiros sobre literatura, raça e intercâmbio cultural. A curadoria ficou por conta do professor de literatura brasileira, escritor e crítico literário Uelinton Farias Alves.

“A dimensão da Carolina Maria de Jesus é o reposicionamento do autor negro no cenário da literatura brasileira”, analisa Alves. “Ela vem hoje com uma força que vai catapultar outras forças que estão ocultas, existem muitas Carolinas, muitos Paulos Lins”, acredita. Para ele, a mudança passa inclusive pelo âmbito do mercado editorial – “há espaço e há qualidade literária”.

Durante o evento, serão lançadas edições especiais de Quarto de Despejo (pela editora Ática) e Diário de Bitita (Sesi-SP), em parceira com a Editora Zumbi dos Palmares. Os livros têm estudos exclusivos do curador do evento e da também pesquisadora Rafaella Fernandez.

Alves lembra que o escritor italiano Alberto Moravia (1907-1990) fez um texto “muito interessante” sobre os escritos de Carolina. “Ele via ali ressonância dos dramas e discursos de Shakespeare, ele conseguiu enxergar isso na Carolina, moradora da Favela do Canindé, em São Paulo, de um barraco em que entrava água, que escrevia naquele caderninho escondido. A literatura dessa mulher tocou um dos maiores escritores da Europa”, relata.

Durante o Flink Sampa, serão anunciados os vencedores do primeiro concurso de literatura promovido pelo evento, que incentivou estudantes a escreverem crônicas inspiradas em Quarto de Despejo. Uma casa cenográfica que reproduz o lar de Carolina exibirá filmes e documentários que retratam seu universo, entre eles Favela: A Vida na Pobreza, da alemã Christa Gottman-Elter, de 1971. Várias palestras, peças teatrais, uma mostra fotográfica e até uma oficina completam a programação dedicada à autora mineira.

Mas a mostra não fica só na discussão carolínea. A escritora angolana Isabel Ferreira apresenta por aqui os poemas de O Leito do Silêncio (Editora Kujiza Kuami), e o seu conterrâneo Lupito Feijóo fala sobre dois livros recentes: Desejos de Aninata e Andarilho e Doutrinário.

“É um livro de altas ‘marintimidades’ e que salta não raras vezes para um acentuado erotismo”, explica Feijóo, sobre o primeiro. “Enquanto povos banhados pela maresia do Oceano Atlântico, temos razões de identidade quase comuns”, justifica o poeta, que já visitou o País mais de 10 vezes.

Além desses e outros lançamentos nacionais e internacionais, o Flink Sampa propõe mesas com discussões sobre questões raciais, de gênero, literatura, história, tradução, adaptação de obras literárias, moda e classes sociais.

DESTAQUES DA PROGRAMAÇÃO

Mesa Carolina de Jesus

Audálio Dantas, Vera Eunice e Elzira Perpétua conversam sobre a autora no sábado, 22, às 14 h

Golpe de 64 e a História Brasileira em Quadrinhos

Às 16 h de sábado, 22, debatem Oscar Pilagallo e Rafael Campos Rocha

Leci Brandão

Show com a cantora no sábado, 22, às 19 h, no palco principal

África e Brasil

Domingo, às 10h30, as escritoras Isabel Ferreira, Paulina Chiziane e Vera Duarte dividem a mesa

AFROÉTNICA – FLINK SAMPA 

Memorial da América Latina. Av. Auro Soares de Moura Andrade, 664, tel, 3823-4600. Hoje, 10 h / 20 h; amanhã, 9 h/20 h. Grátis. 

Tudo o que sabemos sobre:
Flink SampaLiteratura

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.