Shawn Poynter / The New York Times
Shawn Poynter / The New York Times

Finalistas do Booker Prize trazem leitura de grande imersão 

Romances que exploram injustiças históricas, a natureza da consciência e o impacto estonteante da internet estão entre os seis escolhidos

Alex Marshall, The New York Times

16 de setembro de 2021 | 07h41

Patricia Lockwood, Richard Powers e Maggie Shipstead estão entre os seis romancistas selecionados este ano para o Booker Prize, um dos prêmios literários de maior prestígio do mundo. 

Powers é finalista com Bewilderment, seu romance sobre um astrobiólogo viúvo lutando para cuidar de seu filho; Shipstead por Great Circle, um épico sobre uma mulher que devota sua vida a voar e a atriz de Hollywood que vai interpretá-la na tela; e Lockwood por No One Is Talking About This, seu romance de estreia escrito parcialmente na linguagem da internet. 

Os outros autores e livros para fazer a lista, anunciada em uma entrevista coletiva online terça-feira, 14, são Anuk Arudpragasam para A Passage North, sobre a morte de um cuidador no cenário da guerra civil no Sri Lanka; Nadifa Mohamed em The Fortune Men, sobre um erro judiciário no País de Gales; e Damon Galgut por The Promise, sobre uma família branca na África do Sul pós-apartheid.

Alguns dos romances mais conhecidos do ano, com Klara e o Sol, de Kazuo Ishiguro, chegaram à lista de 13 finalistas em julho, mas não ficaram entre os seis de agora. “É um processo muito difícil”, disse Maya Jasanoff, historiadora e presidente do júri do Booker Prize, quando questionada sobre os livros que não conseguiram entrar na lista. “O que posso dizer é que cada obra é julgada por seus méritos.” 

Os seis romances selecionados parecem ter pouco em comum, mas Jasanoff disse que todos ressoaram em um ano em que muitos leitores foram forçados a ficar em casa por causa da pandemia do coronavírus. Os romances são imersivos, ela disse - “histórias nas quais você pode se deixar absorver, vozes que entram na sua cabeça, o que reflete bastante a experiência de ler no bloqueio”. Muitos também se envolveram com a morte, acrescentou ela, que "parece muito comovente e prudente neste ano catastrófico".

O Prêmio Booker é concedido anualmente ao melhor romance escrito em inglês e publicado na Grã-Bretanha ou Irlanda. Em 2019, Bernardine Evaristo e Margaret Atwood dividiram o prêmio, enquanto Douglas Stuart ganhou no ano passado por Shuggie Bain, seu romance de estreia sobre uma criança gay na Escócia com uma mãe alcoólatra. 

Os finalistas deste ano foram divididos igualmente entre mulheres e homens. The Promise é o terceiro livro de Galgut a entrar na shortlist do Booker, seguindo In a Strange Room em 2010 e The Good Doctor em 2003. Bewilderment é a segunda aparição de Powers na lista após o nome de The Overstory finalista em 2018. 

Três dos finalistas são americanos e apenas um é britânico, o que pode causar consternação em alguns setores da Grã-Bretanha. Em 2018, escritores como Zadie Smith e Ian McEwan pediram que a Booker Prize Foundation revertesse uma decisão de 2014 que tornava qualquer romance escrito em inglês e publicado na Grã-Bretanha elegível para o prêmio. Anteriormente, ele estava limitado a escritores da Grã-Bretanha, Irlanda, Zimbábue e da Comunidade Britânica.

Gaby Wood, diretora da Booker Prize Foundation, disse que não achava apropriado reverter o prêmio para as regras antigas, especialmente porque ele se basearia nos limites do antigo império britânico. “Simplesmente não parece uma conversa que deveríamos ter”, disse ela. “Acho bastante notável no século 21 que as pessoas estejam falando sobre o antigo Império Britânico como um recipiente apropriado para pensar sobre literatura”, acrescentou Jasanoff. 

Os jurados agora irão reler os livros pré-selecionados antes de decidirem o vencedor, a ser anunciado em uma cerimônia em Londres em 3 de novembro. Seu autor receberá 50 mil libras, cerca de US$ 69 mil.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.