Wilton Junior/Estadão
Wilton Junior/Estadão

Festival Mário de Andrade, a Virada do Livro, terá Fernanda Montenegro, Mia Couto e neta de Mandela

Em sua primeira edição, Festival Mário de Andrade será realizado entre 4 e 6 de outubro em diversos espaços de São Paulo; veja a programação e endereços

Maria Fernanda Rodrigues, O Estado de S. Paulo

24 de setembro de 2019 | 11h26

Com uma vasta produção gratuita, que se espalhará pelo Centro e outros espaços de São Paulo, a primeira edição do Festival Mário de Andrade, ou a Virada do Livro, será realizada entre os dias 4 e 6 de outubro. São 140 atrações, como bate-papo, oficinas, apresentações musicais, peças de teatro, performances e feira de livro.

Às vésperas de completar 90 anos, a atriz Fernanda Montenegro, que acaba de lançar sua autobiografia e foi chamada na segunda, 23, de 'sórdida' e 'mentirosa' pelo diretor da Funarte Roberto Alvim, é uma das atrações principais do Festival Mário de Andrade. Ela sobe ao palco do Teatro Municipal no domingo, 6, para uma conversa sobre sua trajetória com a jornalista Marta Góes. 

Alvo também de ataque recente, a poeta gaúcha Angélica Freitas, um dos principais nomes da poesia contemporânea, dá uma oficina e divide o palco com a escritora portuguesa Alexandra Lucas Coelho. Angélica é autora de O Útero é do Tamanho de um Punho, publicado originalmente pela Cosac Naify e relançado pela Companhia das Letras, livro que é leitura obrigatória no vestibular unificado da Universidade Federal de Santa Catarina e da Universidade Federal da Fronteira Sul. Em sessão na Assembleia Legislativa do estado, no dia 17, o deputado Jessé Lopes (PSL) apresentou uma moção de repúdio pela inclusão da obra no vestibular.

O escritor moçambicano Mia Couto também participa da Virada do Livro. Ela fala na Praça das Artes na sexta, 4, e no domingo ele participa de bate-papo com o escritor Milton Hatoum, cronista do Estado, no Centro Cultural Tendal da Lapa. Milton Hatoum, antes disso, conversa com a escritora portuguesa Isabela Figueiredo, autora de Caderno de Memórias Coloniais.

Outro destaque é a conversa entre Zamaswazi Dlamini e Sahm Venter, responsável pela reunião da correspondência do avô dela, Nelson Mandela. E também a presença do líder indígena Ailton Krenak e a volta de Kalaf Epalanga ao Brasil depois da Flip 2019.

"Temos uma programação ao gosto de Mário de Andrade: multicultural, multidisciplinar e que percorre o Brasil da Amazônia ao Rio Grande do Sul. E os artistas também fazem um percurso Brasil, Portugal e África", explica Joselia Aguiar, diretora da Biblioteca Mário de Andrade. Anunciado durante a Festa Literária Internacional de Paraty, o Festival Mário de Andrade foi organizado em três meses e Joselia diz acreditar que ele tem "muito protencial de crescer".

A ideia é que o público ocupe as ruas do Centro, no caminho entre a Biblioteca Mário de Andrade, onde serão realizadas as oficinas e os debates mais intimistas, o Theatro Municipal, que recebe Fernanda Montenegro, e a Praça das Artes e Praça Dom José Gaspar, palco das programação mais "acalorada". Haverá, ainda, saraus e performances de rua. E programação na periferia.

Para Joselia, no entanto, o mais importante é o Corredor Literário que será formado no entre a Xavier de Toledo, a Praça Ramos de Azevedo e a Conselheiro Crispiniano. "A feira de livros é o coração do festival. Serão 100 tendas com 79 expositores", ela conta. Participam editoras grandes ou independentes, bancas, coletivos e até eventos culturais. Houve um edital de chamamento para a seleção de interessados em participar do evento.

Destaques da programação do Festival Mário de Andrade

Corredor do Livro

O Corredor do Livro, que vai unir a Biblioteca Mário de Andrade, o Theatro Municipal e Praça das Artes, será formado por 100 tendas, que vão abrigar 79 expositores (editoras, livrarias, bancas e coletivos). Ele funcionará apenas no fim de semana, dias 5, sábado, das 10h às 20h, e domingo, 6, das 10h às 19h, Participam, entre outros, Companhia das Letras, Record, Todavia, Planeta, Editora 34, Saraiva, Banca Tatuí, Malê, Libre - Liga Brasileira de Editoras, Edições Sesc SP, Leia Mulheres, Quilombhoje, Poetas do Tietê, Coletivos Ponte Cultural, Perifatividade e Fantasistas, Livraria do Comendador e Território Geek.

Rua Coronel Xavier de Toledo, Praça Ramos de Azevedo (ao lado do Theatro Municipal) e Rua Conselheiro Crispiniano

 

Dança

Grupo Gumboot Dance Brasil: Yebo

A abertura do Festival Mário de Andrade é marcada pela apresentação compacta de “Yebo”, espetáculo no estilo gumboot dance (dança de botas de borracha). Criado pelos trabalhadores das minas de ouro e carvão da África do Sul, no século 19, o estilo é base para a coreografia que aborda a exploração tanto dos minérios como dos sete povos que os extraíam, assim como a espera das mulheres por seus maridos mineiros.

Praça das Artes. Dia 4/10, às 19h

 

Bate-papo

Mia Couto: Uma Casa Chamada Terra

O autor moçambicano conversa com a jornalista, escritora e atriz Bianca Ramoneda sobre as relações do homem com seus pares e o planeta, analisadas sob uma perspectiva africana e literária. Trechos da obra de Mia Couto serão lidos pelo ator Silvio Restiffe.

Praça das Artes. Dia 4/10, às 19h30

 

Intervenção

Bolo de Rolo: Um Quilômetro de Baile

O grupo Bolo de Rolo, da Cia. Angelo Madureira e Ana Catarina Vieira, que reúne teatro, música e dança em suas apresentações, comanda um espetáculo de rua itinerante, inspirado na tradição das festas populares brasileiras. No trecho entre a Biblioteca Mário de Andrade e a Praça das Artes, quarenta artistas convidam o público para integrar a perfomance..

Biblioteca Mário de Andrade (saída). Dia 5/10, às 11h

Praça das Artes (chegada). Dia 5/10, às 11h40

 

Bate-papo

Isabela Figueiredo e Milton Hatoum: Laços de Família

A escritora portuguesa nascida em Moçambique Isabela Figueiredo aborda a questão do racismo a partir da relação com o pai. Sua obra é considerada uma das mais expressivas sobre o tema nos últimos 20 anos. Radicado em São Paulo, o amazonense Milton Hatoum, cronista do Estado, aborda as relações entre pais, filhos e irmãos no Brasil do século 20 em seus romances. Neste encontro, os escritores conversam sobre os “laços de família”, tendo como pano de fundo literatura, imigração e pós-colonialismo. A mediação é da crítica literária Rita Palmeira

Praça das Artes. Dia 5/10, às 14h

​Bate-papo

Angélica Freitas e Alexandra Lucas Coelho: Em Tecnicolor

Entre a poesia e a prosa, a poeta gaúcha Angélica Freitas e a escritora portuguesa Alexandra Lucas Coelho conversam sobre arte, criação, feminismo e o lugar do escritor nos debates das grandes questões do mundo. A mediação é do escritor e artista visual Ricardo Domeneck.

Praça das Artes. Dia 5/10, às 17h

 

Bate-papo

Ailton Krenak e Berna Reale: O Limite da Natureza

O líder indígena, ambientalista e escritor Ailton Krenak conversa com a artista visual da região amazônica Berna Reale sobre natureza, ação predatória do homem e a criação artística. Mediado pelo editor de cultura Robinson Borges, o bate-papo tem como enfoque a civilização como uma crescente ameaça a si mesma.

Praça das Artes. Dia 5/10, às 19h

 

​Dança-teatro

Goitá: Espetáculo Coreográfico

Em uma apresentação que revisita a cultura popular brasileira, bonecos do tradicional mamulengo convertem-se magicamente em bailarinos. O espetáculo, que reúne 20 artistas, é resultado da parceria entre as companhias Cisne Negro, de dança, e Pia Fraus, de teatro de bonecos. A direção é de Hulda e Danny Bittencourt (Cisne Negro) e de Beto Andreeta (Pia Fraus), que também assina a dramaturgia.

Praça das Artes. Dia 6/10, às 14h

 

​Bate-papo

Kalaf Epalanga e Russo Passapusso: Sound System

A mesa recebe o músico e escritor angolano Kalaf Epalanga, autor de Também os Brancos Sabem Dançar (Todavia), que vive entre Lisboa e Berlim, e o cantor e compositor baiano Russo Passapusso (Baiana System). A dupla de artistas inventivos fala sobre arte, experimentação e reinvenção dos lugares. A mediação é da jornalista Adriana Couto.

Praça das Artes. Dia 6/10, às 17h

 

Bate-papo

Zamaswazi Dlamini-Mandela e Sahm Venter: Tributo a Nelson Mandela

Zamaswazi Dlamini, neta de Nelson Mandela, e Sahm Venter, responsável pela reunião de sua correspondência, relembram o legado humanista do líder africano, ganhador do Nobel da Paz, e conversam sobre resistência pacífica, luta antirracista e tolerância. A mediação é da historiadora e antropóloga Lilia Schwarcz. Trechos das cartas de Mandela serão lidos pelo ator Felipe Soares. A atividade marca o encerramento do Festival.

Praça das Artes. Dia 6/10, às 19h

 

Sarau

Peleja de Cordel: Encontro de Seis Cordelistas

Cordelistas de cinco estados brasileiros recitam versos de várias épocas, seguindo a tradição do gênero literário. Participam do encontro Aldy Carvalho (Pernambuco), Cleusa Santo (São Paulo), EdiMaria (Bahia), João Gomes de Sá (Alagoas), Moreira

de Acopiara e Costa Senna (Ceará).

Praça Dom José Gaspar. Dia 5/10, às 15h

 

Sarau

Um Sarau Para Mário

Grandes nomes dos saraus e do slam unem-se a artistas de outras linguagens para esta homenagem a Mário de Andrade, anfitrião do Festival. Participam da apresentação os poetas Binho, Sacolinha, Luiza Romão, Helena Silvestre, Luan Luando, Raissa Padial Corso, Carú Seabra, o músico Emerson Boy e o ator Paschoal da Conceição, interpretando o homenageado.

Praça Dom José Gaspar. Dia 5/10, às 18h

 

​Bate-papo

Fernanda Montenegro e Marta Góes: Prólogo, Ato, Epílogo

Prestes a celebrar 90 anos, Fernanda Montenegro comenta pela primeira vez em público seu livro de memórias Prólogo, Ato, Epílogo (Companhia das Letras), em conversa com a jornalista Marta Góes. Marta realizou 18 entrevistas com a atriz que, a partir desse material, escreveu a obra entre novembro de 2017 e agosto de 2019. 

Theatro Municipal. Dia 6/10, às 16h (ingressos retirados por ordem de chegada)

 

​Teatro

Amar, Verbo Intransitivo: Obra de Mário de Andrade

Com direção de Dagoberto Feliz, Amar, Verbo Intransitivo, peça inspirada no romance homônimo de Mário de Andrade, acompanha a iniciação amorosa de um adolescente, herdeiro de uma tradicional família paulistana dos anos 1920. Para tal

missão é contratada uma severa governanta alemã. No elenco, estão Luciana Carnielli, como Fräulein Elza, e Pedro Daher, nos papéis do rapaz e do pai. 

Biblioteca Mário de Andrade - auditório. Dias 4, 5 e 6/10, às 20h

 

Oficina

Oficinas na Biblioteca Mário de Andrade

A Biblioteca Mário de Andrade recebe nove oficinas: Poesia, com Angélica Freitas; Performance, com Ricardo Aleixo; Romance, com Luiz Antonio de Assis Brasil; Contos, com Socorro Acioli; e Poesia para Criança, com Tatiana Pequeno. O Centro de Pesquisa e Formação - Sesc SP também participa da programação do Festival com as oficinas Conservação em Acervos, com Fernanda Kelly Silva de Brito; Tradução Feminista, com Daniella Avelana Origuela, Hailey Kaas, Jamille Pinheiro Dias, Julia Raiz e Stephanie Borges; Pra Nascer Palavra - Estudos de Palavras, com André do Amaral; e Autopublicação Impressa, com Ricardo Rodrigues. Além da Mário, as oficinas de Conservação em Acervos e de Estudos de Palavras serão ministradas no Centro de Pesquisa e Formação - Sesc SP, respectivamente, nos dias 4/10, às 14h, e 5/10, às 10h.

Biblioteca Mário de Andrade. Dias 5 e 6/10, em vários horários

 

Bate-papo

Por Que Escrevo? Poesia e Prosa

Em diálogos intimistas, autores de origens e perspectivas diferentes, que contribuem para uma nova expressão na cena literária do país, falam sobre sua formação, seus trabalhos e sociedade, No sábado, reúnem-se os ficcionistas Itamar Vieira Junior, Juliana Leite e Wilson Alves-Bezerra; no domingo, os poetas André Capilé, Tatiana Pequeno e Lubi Prates. Os encontros serão gravados e irão integrar o acervo da Mário.

Biblioteca Mário de Andrade - sala Tula Pilar Ferreira. Prosa. Dia 5/10, ao meio-dia; Poesia. Dia 6/10, ao meio-dia

Música

Clima + Fábio Sá, Juliana Perdigão, Kiko Dinucci, Richard Ribeiro, Rodrigo Campos e Romulo Fróes: la commedia è finita

Em lançamento do álbum La Commedia è Finita, os compositores Eduardo Climachauska (Clima), que também é artista plástico, e Rômulo Fróes se juntam aos músicos Fábio Sá, Juliana Perdigão, Kiko Dinucci, Richard Ribeiro e Rodrigo Campos. No repertório do show, estão as 14 canções do disco, entre elas Cão Andaluz, Carcará sem Fome e Coco, e a Batata?.

Biblioteca Mário de Andrade - auditório. Dia 5/10, às 16h

 

Música

Duo Lívia & Arthur Nestrovski

O compositor e violonista Arthur Nestrovski e a cantora Lívia, sua filha, apresentam um novo repertório pela primeira vez em São Paulo. Canções inéditas de Arthur, e mais Bach, Saint-Saens, Caetano Veloso, Tom Jobim e Zé Miguel Wisnik

Biblioteca Mário de Andrade - auditório. Dia 6/10, às 16h

Teatro Infantil

Chiquinha Gonzaga, A Menina Faceira

Teatro de bonecos, ao som de canto e piano, que relembra momentos da vida de Chiquinha Gonzaga, compositora carioca pioneira do fim do século XIV e início do 20 e autora de sucessos como Ó Abre-Alas. Apresentando 15 canções, o espetáculo da Cia. das Cores tem direção e bonecos de Edson Gon e dramaturgia de Tom Dupin.

Biblioteca Mário de Andrade - auditório. Dia 5/10, às 11h

 

Teatro Infantil

Tico-Tico

Para a dramaturgia desta peça, a Cia. das Cores se inspirou na canção Tico-Tico no Fubá, de Zequinha de Abreu. Na história, a jovem costureira Aurora sonha ser igual à cantora Carmen Miranda. Com direção de Edson Gon, o espetáculo é encenado por bonecos-instrumentos, mistura de personagens com instrumentos musicais.

Biblioteca Mário de Andrade - auditório. Dia 6/10, às 11h

 

Bate-papo

aureliano @oiaureureliano, Liliane Prata e Ryane Leão: Escritos na Rede

Mediada pelo jornalista e blogueiro Rodrigo Casarin, a conversa descontraída trata de redes sociais, livro, comportamento e política. Participam do encontro três autores atuantes na internet com grande audiência e leitores.

Praça Dom José Gaspar. Dia 6/10, às 17h

 

Intervenção

Ricardo Aleixo: Coro de Vozes Comuns - voco

O poeta e performer Ricardo Aleixo comanda uma intervenção contundente que une voz e gestual, ao lado de oficineiros escolhidos para atuar no Festival. O público é convidado a participar.

Praça Dom José Gaspar. Dia 6/10, às 15h

 

Palcos descentralizados

Quatro centros culturais, localizados nas zonas norte, sul, leste e oeste da cidade, recebem convidados para bate-papos.

Kalaf Epalanga: Som e Fúria

Centro de Culturas Negras. Zona Sul. Dia 5/10, às 14h

Ailton Krenak e Itamar Vieira Junior: O País Profundo

Centro Cultural da Juventude. Zona Norte. Dia 6/10, às 13h

Alexandra Lucas Coelho e Socorro Acioli: Narrar o Brasil

Centro de Formação Cultural Cidade Tiradentes. Zona Leste. Dia 6/10, às 13h

Mia Couto e Milton Hatoum: A Descoberta do Mundo

Centro Cultural Tendal da Lapa. Zona Oeste. Dia 6/10, às 17h30

 

Locais do Festival Mário de Andrade

Biblioteca Mário de Andrade

Rua da Consolação, 94, Consolação. Centro.

Tel.: 3775 0002

Centro Cultural da Juventude

Av. Deputado Emílio Carlos, 3.641, Vila Nova Cachoeirinha. Zona Norte

Tel.: 3984 2466

Centro de Culturas Negras

Rua Arsênio Tavolieri, 1, Jd. Oriental. Zona Sul.

Tel.: 5011 7445

Centro Cultural Tendal da Lapa

Rua Guaicurus, 1.100, Lapa. Zona Oeste

Tel.: 3862 1837

Centro de Formação Cultural Cidade Tiradentes

Rua Inácio Monteiro, alt. do nº 6.900, Cidade Tiradentes. Zona Leste

Tel.: 3343 8900

Centro de Pesquisa e Formação do Sesc-SP

Rua Dr. Plínio Barreto, 285, 4º andar, Bela Vista. Centro.

Tel.: 3254 5600

Praça Dom José Gaspar

Av. São Luís (atrás da Biblioteca Mário de Andrade)

Praça das Artes

Bulevar (Avenida) São João, 281. Centro

Tel.: 4571 0401

Theatro Municipal de São Paulo

Pça. Ramos de Azevedo, s/nº, Centro.

Tel.: 3053 2090

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.