Nino Andres
Nino Andres

Fernanda Diamant é a nova curadora da Flip

Editora sucede a jornalista Joselia Aguiar no cargo e deve incluir novos formatos de mesas na programação da 17.ª Festa Literária Internacional de Paraty, em julho de 2019

Guilherme Sobota, O Estado de S. Paulo

25 Setembro 2018 | 18h00

Fernanda Diamant é a nova curadora da Festa Literária Internacional de Paraty. A editora sucede a jornalista Joselia Aguiar no cargo da Flip. A próxima edição da Festa ocorre entre os dias 10 e 14 de julho de 2019, no litoral fluminense. O escritor ou escritora homenageado será anunciado ainda este ano, e os convidados, no primeiro semestre do próximo ano.

Editora com passagens pela Publifolha (onde foi assistente de Arthur Nestrovski) e Editora 34, formada em filosofia, Diamant também é sócia da Quatro Cinco Um, revista mensal de resenhas e ensaios que começou a circular em maio de 2017.

Ela aponta duas diretrizes iniciais que devem dirigir seu trabalho com a Flip daqui para a frente: aumentar a presença da não ficção na programação principal e também buscar formas de variar os formatos das mesas.

“Desde debate sobre urbanismo, história, política, ciência, memórias até jornalismo e reportagens”, explica a nova curadora. “Esses debates sempre existiram, mas agora talvez estejam mais presentes.”

Sobre a intenção de variar o formato das mesas, Diamant diz que quer ampliar um trabalho que já vinha sendo feito nos últimos anos pela curadoria – ela cita como exemplo a participação da escritora russa Liudmila Petruchévskaia, que fez uma espécie de pocket show na Tenda dos Autores na edição deste ano. “São ideias, como talvez reduzir o tempo dos encontros, ter variações, possibilidades de juntar linguagens, master classes, dois mediadores e um convidado”, aponta a curadora. “Não estou inventando a roda, há exemplos disso ao longo da Flip.”

Sobre mudanças que ficaram evidentes nos dois últimos anos na festa – como uma preocupação maior com diversidade editorial e representatividade –, a editora afirma que devem se manter. “A Flip nem existiria mais com tanta relevância cultural se não tivesse acontecido mudanças assim. É uma transformação definitiva.”

A jornalista Joselia Aguiar agora está se dedicando à conclusão e ao lançamento de sua biografia de Jorge Amado, que sai em novembro pela Todavia.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.