AFP PHOTO / TORU YAMANAKA
AFP PHOTO / TORU YAMANAKA

Fãs no Japão fazem filas pelo novo livro de Haruki Murakami

Romance do escritor japonês tem impressionante tiragem de 1,3 milhão de exemplares

AP

24 de fevereiro de 2017 | 11h01

TÓQUIO - Fãs do escritor Haruki Murakami, 68, correram às livrarias japonesas nesta sexta, 24, para comprar o seu novo romance, Kishidancho Goroshi (Matar o Comendador, em tradução livre). A história é contada em duas partes: a primeira é de um pintor de retratos de 36 anos, e o que acontece depois do seu divórcio. Ele vai morar em uma casa velha em uma montanha no oeste de Tóquio. Lá ele vai encontrar um misterioso vizinho e uma pintura que é aludida no título do livro em japonês. O escritor Murakami descreveu o seu novo romance como “uma história muito estranha”.

Devotados fãs do escritor, internacionalmente aclamado autor de best-sellers, foram às portas das livrarias na véspera do lançamento do livro. Segundo informou a editora do autor, Shinchosha Publishing Co, o livro ainda não tem previsão de lançamento no exterior.

Murakami não gosta dos holofotes que a fama trouxe e não é de falar muito em público, apesar de já ter feito comentários sobre questões como a paz mundial e energia nuclear. Antes de terminar a faculdade, na Universidade de Waseda, em Tóquio, ele abriu um bar de jazz (Peter Cat) e lançou seu primeiro romance Her The Wing Swing, em 1979 (não foi traduzido no Brasil). A fama no Japão, no entanto, só chegaria com Norwegian Wood, quando ele se transformou em uma estrela da literatura.

O lançamento do livro coincide com o prêmio “Friday”, iniciativa do governo japonês para que os trabalhadores deixem mais cedo o serviço e aproveitem mais tempo no final de semana. A editora estima 1,3 milhão de cópias na primeira edição, um número expressivo mesmo para os padrões japoneses.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.