Wilson Dias/Agência Brasil
Wilson Dias/Agência Brasil

Escritora Vilma Guimarães Rosa, filha de Guimarães Rosa, morre os 90 anos

Ela escreveu obras como 'Acontecências' e 'Relembramentos: João Guimarães Rosa, Meu Pai (Memórias Biográficas)'

Redação, O Estado de S. Paulo

31 de janeiro de 2022 | 14h45

A escritora Vilma Guimarães Rosa Reeves morreu neste domingo, 30, aos 90 anos, vítima de um enfarte. Filha do escritor João Guimarães Rosa (1908-1967), autor de Grande Sertão: Veredas e de Sagarana, entre outros livros, ela estava internada havia 11 dias por complicações de diabetes, no Rio.

Mineira de Itaguara, Vilma nasceu no dia 5 de junho de 1931. Era a filha mais velha de Guimarães Rosa, de seu primeiro casamento, com Ligia Cabral Pena. Sua única irmã, Agnes Guimarães Rosa, morreu em 2016, aos 82 anos.

Vilma Guimarães Rosa, que estudou no Rio de Janeiro e na Sorbonne, em Paris, publicou nove livros ao longo de sua trajetória. São eles: Acontecências (1967), Setestórias (1970), Por que não? (1972), Serendipity (1974), Carisma (1978), Clique! (1981), Relembramentos: João Guimarães Rosa, Meu Pai (Memórias Biográficas) (1983), que lhe rendeu o Prêmio Joaquim Nabuco, da Academia Brasileira de Letras (ABL), As Visionárias (1983) e Mistérios do Existir (1999).

A escritora deixa dois filhos, João Emilio Ribeiro Neto e Laura Beatriz Guimarães Rosa Ribeiro Lustosa, de seu primeiro casamento, com Caio Antonio Bernardo, e duas netas. Vilma foi casada ainda com Peter Quiney Reeves por 55 anos, até a morte dele em 2020.

Tudo o que sabemos sobre:
João Guimarães Rosaliteratura

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.