Escritor João Ubaldo Ribeiro vence o prêmio Camões 2008

Prêmio, que já foi recebido por 8 brasileiros, é mais importante concedido a autores da língua portuguesa

Efe

26 de julho de 2008 | 16h15

O escritor João Ubaldo Ribeiro, colunista do jornal O Estado de S. Paulo, conquistou neste sábado, 26, o Prêmio Camões 2008, o mais importante concedido a autores da língua portuguesa. Este ano o júri foi formado pela catedrática da Faculdade de Letras da Universidade do Porto Maria de Fátima Marinho, o escritor brasileiro Marco Lucchesi e pelo poeta e jornalista angolano João Meio.   Veja também: 'Eu mereço', diz João Ubaldo sobre Prêmio   Na sua 20.ª edição, o júri optou por João Ubaldo, de 67 anos e o oitavo brasileiro a receber este prêmio, criado em conjunto pelos governos de Portugal e Brasil, em 1988.   O Prêmio Camões 2007 foi outorgado ao escritor português Antonio Lobo Antunes, que recebeu seu prêmio na última sexta em cerimônia na qual esteve presente o presidente do Brasil, Luiz Inácio Lula da Silva. Nesta oportunidade, Lula afirmou que este prêmio fortalece as "manifestações literárias da rica e diversa cultura" dos países Lusófonos.    Vida   O escritor João Ubaldo Ribeiro nasceu na Ilha de Itaparica, Bahia, em 23 de janeiro de 1941, filho primogênito de Maria Felipa Osório Pimentel e Manoel de Ribeiro. Jornalista, autor de clássicos como Viva o povo brasileiro, que já superou a marca dos 120 mil exemplares vendidos, é integrante da Academia Brasileira de Letras (ABL) desde 1993, escreveu 9 livros - traduzidos em 16 países - e colaborou com outros.   Bacharel em Direito pela Universidade Federal da Bahia (de 1959-62), jamais chegou a advogar. Foi professor da Escola de Administração e da Faculdade de Filosofia da Universidade Federal da Bahia e professor da Escola de Administração da Universidade Católica de Salvador. Como jornalista, foi repórter, redator, chefe de reportagem e colunista do Jornal da Bahia; colunista, editorialista e editor-chefe da Tribuna da Bahia.   É colunista do jornal Frankfurter Rundschau, na Alemanha; colaborador de diversos jornais e revistas no País e no exterior, entre os quais, além dos citados, Diet Zeit (Alemanha), The Times Literary Supplement (Inglaterra), O Jornal (Portugal), Jornal de Letras (Portugal), Folha de S. Paulo, O Globo, O Estado de S. Paulo, A Tarde e outros.   Na literatura, João Ubaldo Ribeiro encontraria um de seus nichos mais profícuos. A formação literária de João Ubaldo começou ainda nos primeiros anos de estudante, tendo sido um dos jovens escritores brasileiros que participaram do International Writing Program da Universidade de Iowa, EUA. Escreveu seu primeiro livro, Setembro não tem sentido, em 1968, mas ganharia destaque mesmo com a segunda obra, Sargento Getúlio, de 1971, um marco entre os romances modernos brasileiros.   Desde o final de 2007, o escritor está na editora Objetiva, que relançou algumas das obras mais importantes do escritor, como Sargento Getúlio e Viva o Povo Brasileiro.   Bibliografia Setembro não tem sentido - 1968 Sargento Getúlio - 1971 Vila Real - 1979 Viva o povo brasileiro - 1984 O sorriso do lagarto - 1989 O feitiço da Ilha do Pavão - 1997 A casa dos Budas ditosos - 1999 Miséria e grandeza do amor de Benedita (primeiro e-book lançado no Brasil) - 2000 Diário do Farol - 2002 Miséria e grandeza do amor de Benedita (Dom Quixote - Portugal) - 2003 Diário do Farol - coleção Grandes Autores de Língua Portuguesa - (Dom Quixote - Portugal) - 2003   (Com Alessandra Saraiva, da Agência Estado)   Atualizado às 19h25

Tudo o que sabemos sobre:
João Ubaldo Ribeiroprêmio Camões

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.