Escritor Cristovão Tezza vence Prêmio Portugal Telecom

Segundo lugar foi dividido entre a brasileira Beatriz Bracher e o português António Lobo Antunes

Teresa Ribeiro - do estadao.com.br,

29 de outubro de 2008 | 22h47

O escritor brasileiro Cristovão Tezza é o vencedor do Prêmio Portugal Telecom. Ele conseguiu o que parece ser um feito inédito. Ganhou alguns dos principais prêmios literários do ano, somando-se a este o Jabuti de melhor romance e pela segunda vez o da revista Bravo!, divulgado na segunda-feira, 27, com seu romance O Filho Eterno. Tezza é ainda sério candidato a conquistar o Jabuti de melhor livro de ficção do ano, que será entregue na sexta, 31. O segundo lugar foi divido entre Antônio, da brasileira Beatriz Bracher e Eu Hei-de Amar uma Pedra, do português António Lobo Antunes. Em terceiro lugar ficou O Sol se Põe em São Paulo, de Bernardo Carvalho.  Os três primeiros colocados recebem um troféu criado pelo artista plástico Paulo Von Poser; o primeiro lugar ganha R$ 100 mil, o segundo, R$ 35 mil e o terceiro, R$ 15 mil.O júri foi composto por Flora Sussekind, José Castello, Benjamin Abdala Júnior, Carmen Lúcia Tindó Secco, Maria Lúcia Dal Farra e Rita Chaves.  A cerimônia de entrega do prêmio em São Paulo contou com leitura de textos de Carlos Drummond de Andrade, João Cabral de Melo Neto e Cecília Meirelles, pela atriz Fernanda Montenegro, além da apresentação do jornalista Edney Silvestre, com autoridades portuguesas e brasileiras, como o Ministro da Cultura de Portugal, José Antonio Pinto Ribeiro, e o representante do equivalente nacional, Sérgio Mambertti.secretário de Identidade e Diversidade Cultural do Ministério Em O Filho Eterno, Tezza traduz as dificuldades e alegrias das pequenas vitórias na criação de um filho com síndrome de Down, ao mesmo tempo em que apresenta um painel dos últimos 30 anos de história do Brasil.  Palavras de escritor Só Tezza e Beatriz compareceram para receber o prêmio no palco da Casa Fazano, em São Paulo. A escritora disse que era a primeira vez que ganhava um prêmio com sua literatura e que "empatar com Lobo Antunes é mais que ganhar um primeiro lugar". Após receber o prêmio, Cristovão Tezza, autor de tantas obras, disse que O Filho Eterno "foi um livro marcante na minha vida, muito singular, com uma enorme carga emocional", disse. Comentou ainda sobre o fato de escrever um livro autobiográfico na terceira pessoa e não na primeira foi necessário para ele se distanciar das coisas. "Foi um livro que levei mais de 20 anos para escrever", acrescentou. Por que? Porque problemas pessoais não devem entrar na literatura. É uma das vantagens de ficar velho, o amadurecimento permitiu um um olhar de afastamento para essa história, que eu não poderia contar na primeira pessoa". O escritor e professor de literatura destacou o fato da obra contar a história dos anos 60, 70, a história de sua geração". Nascido em Lages, Santa Catarina, em 1952, Cristovão Tezza virou um dos destaques da atual literatura brasileira desde o lançamento de seu primeiro livro, Trapo, publicado em 1988, que lhe deu projeção nacional.  Tezza recebeu o Prêmio Machado de Assis da Biblioteca Nacional de melhor romance do ano de 1998, por Breve Espaço entre Cor e Sombra. Com O Fotógrafo, conquistou o Prêmio da Academia Brasileira de Letras de melhor romance de 2005, e o Prêmio Bravo! de melhor obra, além do Prêmio Petrobras de Literatura pelo romance Aventuras Provisórias.  O escritor sempre viveu entre Santa Catarina e o Paraná. Nasceu em Lages e quando criança mudou-se, aos 10 anos, para Curitiba com a família. Casou-se pela segunda vez em 1984, e se mudou de Curitiba para Florianópolis, onde foi para trabalhar como professor de Língua Portuguesa da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC). Voltou a Curitiba em 1986 e leciona até hoje na Universidade Federal do Paraná (UFPR). Entre os dez finalistas do prêmio, oito escritores eram brasileiros, um português e um angolano. Confira a lista:António Lobo Antunes - Eu Hei-de Amar Uma Pedra - Objetiva (Portugal)Beatriz Bracher - Antônio - Editora 34 (Brasil)Bernardo Carvalho - O Sol Se Põe em São Paulo - Companhia das Letras (Brasil)Cristovão Tezza - O Filho Eterno - Record (Brasil)Julián Fuks - Histórias da Literatura e Cegueira - Record (Brasil)Marília Garcia - 20 Poemas Para o Seu Walkman - Cosac Naif / 7 letras (Brasil)Nicolas Behr - Laranja Seleta - Língua Geral (Brasil)Raimundo Carrero - O Amor Não Tem Bons Sentimentos - Iluminuras (Brasil).Ondjaki - Os da Minha Rua - Língua Geral (Angola)Paulo Henriques Britto - Tarde - Companhia das Letras (Brasil)

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.