Reprodução de foto por Paulo Liebert/Estadão
Reprodução de foto por Paulo Liebert/Estadão

Eça de Queiroz, 175 anos: Uma leitura para além da escola

No dia do aniversário do escritor português, veja alguns de seus livros disponíveis em livrarias brasileiras

Redação, O Estado de S. Paulo

25 de novembro de 2020 | 12h00

Eça de Queiroz é considerado um dos maiores escritores da literatura em língua portuguesa. Nascido em 25 de novembro de 1845, há exatos 175 anos, na cidade portuguesa de Póvoa do Varzim, onde hoje é realizado um importante festival literário, Eça é apresentado ao leitor ainda na escola. Alguns de seus livros são leitura obrigatória nas aulas ou depois, no vestibular. Uma série de livros disponíveis nas livrarias brasileiras mostra que sua leitura se mantém atual e ultrapassa a tarefa escolar. Reconhecido em vida, Eça de Queiroz, é um autor clássico.

Morto em 16 de agosto de 1900, 120 anos atrás, em Paris, Eça de Queiroz formou-se em Direito e foi cônsul de Portugal em lugares com Havana, Bristol, New Castle e Paris enquanto também atuava como jornalista e escrevia seus livros.

De 1875, O Crime do Padre Amaro é o marco do realismo português. Antes desse livro, ele publicou O Mistério da Estrada de Sintra, em 1870. E depois, A Relíquia, em 1887.

Eça de Queirós é também o autor de O Primo Basílio (1878), A Cidade e as Serras (póstumo, 1901), e Os Maias (1888), que virou minissérie da Globo, entre outos livros.

Seu último romance, A Ilustre Casa de Ramires marcou sua produção literária pelo estilo crítico-irônico e se tornou uma de suas obras mais célebres. No enredo, um fidalgo do século 19 aspira a participar da política, ilustrando uma analogia feita por Eça com a história de Portugal. O livro de mais de 500 páginas é o cume da carreira literária do escritor português e marca a terceira e última fase de sua obra, caracterizada pela maturidade da escrita. Na primeira fase, pré-realista, os temas tratados pelo autor eram românticos em sua maioria. Já a segunda, a chamada fase realista, tem por aspecto predominante o retrato crítico da sociedade, com influência do Naturalismo.

A grafia do sobrenome do escritor, “Queirós”, foi adaptada às reformas ortográficas portuguesas já que, na época em que viveu, escrevia-se “Queiroz”. O Estadão usa Queiroz.

    

Livros de Eça de Queiroz

Box Eça de Queirós

Para colecionador, o Box Eça de Queirós (Nova Fronteira, R$ 169,90) reúne três de suas principais obras. O Crime do Padre Amaro tem como mote principal a crítica ao celibato do clero, acompanhada da denúncia aos seus desmandos e excessos e da constatação do provincianismo nocivo que assola o país. A crítica social aliada à análise psicológica prossegue em O Primo Basílio, que conta uma história de desejo feminino e adultério e faz uma das primeiras reflexões sobre o atraso da sociedade portuguesa, uma ácida crítica à burguesia lisboeta e a seus delitos domésticos. Já em Os Maias, o autor ousou abordar temas polêmicos para a época, como o divórcio, o suicídio e o incesto.

Os Maias

Os Maias: Edição Bolso de Luxo (Zahar; R$ 59,90 em capa dura; R$ 39,90 o e-book) leva o leitor para a Lisboa do fim do século 19 e narra a trajetória de três gerações de uma família, a história de um amor impossível e os rumos de um país. Eça dá vida a um refinado jogo social e compõe um panorama da cultura e dos problemas sociais e políticos do seu tempo.

O Primo Basílio

O Primo Basílio (Penguin-Companhia; R$ 62,90; R$ 23,90 o e-book) é uma das histórias de adultério mais emblemáticas da literatura em língua portuguesa. Durante uma viagem prolongada de seu marido, Luísa se deixa seduzir por Basílio, um primo seu que voltava a Portugal depois de uma temporada no Brasil. Imprudentes e indiscretos, os amantes acabam flagrados por Juliana, a empregada da casa, que passa a chantagear a patroa. A edição traz textos de Silviano Santiago e Lilian Jacoto.

Dez Contos Escolhidos de Eça de Queirós

A antologia Dez Contos Escolhidos de Eça de Queirós (José Olympio, R$ 49,90; R$ 37,90 o e-book) reúne textos consagrados de Eça e algumas narrativas do autor menos conhecidas no Brasil. Eles apresentam um panorama dos temas característicos de sua obra.

A Relíquia

Lançado originalmente em 1887, A Relíquia (Panda, R$ 44,90) foi publicado no Brasil em folhetins e é considerado uma das grandes obras do realismo. Trata-se da história de um personagem espertalhão que tenta dar um golpe na tia para ficar com a sua fortuna. O volume traz o texto integral e material de apoio, incluindo um mapa de personagens, para ajudar a compreender melhor a trama do romance.

Tudo o que sabemos sobre:
literaturalivroEça de Queiroz

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.