Museu Casa de Cora Coralina
Museu Casa de Cora Coralina

Cora Coralina ganha selo dos Correios e festa nos seus 130 anos

Cora Coralina nasceu no dia 20 de agosto de 1889; Cidade de Goiás prepara festa com banda e bolo gigante

Maria Fernanda Rodrigues, O Estado de S. Paulo

17 de agosto de 2019 | 04h00

Cora Coralina (1889-1985), a pessoa mais famosa de Goiás – nas palavras de Carlos Drummond de Andrade na crônica que ele publicou no Jornal do Brasil em 1980 e que foi responsável por apresentar a poeta doceira para o grande público –, vai ganhar um ano só para ela. 

Na terça, 20, quando serão festejados os 130 anos de seu nascimento, o Governo de Goiás institui o Ano Cora Coralina, que vai começar naquele dia mesmo e prevê uma série de ações que devem envolver outras entidades culturais, universidades, escolas, museus e quem mais quiser participar.

Saraus literários, oficinas, concursos de redação e literários, exposições e exibição de filmes são algumas dessas ações previstas pelos organizadores e que devem ser anunciadas na cerimônia de lançamento do Ano Cora Coralina, na Cidade de Goiás, distante cerca de 140 km de Goiânia e que, desde 2001, é Patrimônio da Humanidade da Unesco. 

A cidade será despertada pela banda da Polícia Militar, que vai tocar Parabéns Para Você na frente Casa Velha da Ponte, onde Cora Coralina viveu, que foi tema de seus escritos e que hoje abriga um museu sobre ela. Haverá, ao longo do dia, missa, bolo para todos, cerimônias oficiais, serenata e também o lançamento de um selo comemorativo dos Correios.

Filha mais nova de Cora Coralina e guardiã de seus escritos – e de seus inéditos –, Vicência Brêtas Tahan, de 90 anos, estará lá.

 

Tudo o que sabemos sobre:
Cora CoralinaCorreiosliteraturapoesia

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.