Werther Santana/Estadão
Werther Santana/Estadão

Conheça as pequenas livrarias afetadas pela pandemia que vão receber apoio financeiro

Projeto Retomada das Livrarias escolheu 53 lojas independentes para receber apoio financeiro fruto de uma campanha de financiamento coletivo

Maria Fernanda Rodrigues, O Estado de S. Paulo

12 de agosto de 2020 | 12h20
Atualizado 12 de agosto de 2020 | 15h26

A Livraria Simples, localizada numa simpática casinha da Rua Rocha, na Bela Vista, ainda não abriu as portas depois da flexibilização da quarentena. A opção tem sido por vender pela internet, que foi o que segurou a livraria inaugurada ali há dois anos nesses últimos meses, ou entregar os livros na porta da casa. A Simples foi uma das 53 selecionadas para receber o dinheiro arrecadado na campanha de financiamento coletivo do Projeto Retomada das Livrarias, idealizado pelo livreiro e editor Alexandre Martins Fontes e liderado pela Câmara Brasileira do Livro.

A campanha segue até o dia 31 com a meta de levantar R$ 500 mil para serem distribuídos entre essas pequenas e médias livrarias espalhadas pelo Brasil. Até agora, foram arrecadados mais de R$ 356 mil e, nesta quinta, 13, elas recebem os primeiros R$ 5 mil. Em setembro, dividem o restante do que ainda for doado na plataforma Kickante.

“O valor não é suficiente para repor as perdas causadas pela pandemia, mas é um ato simbólico e político, um começo e um incentivo para que a comunidade leitora apoie o consumo sustentável e as livrarias de bairro”, disse Alexandre Martins Fontes. Para ele, sem o pequeno livreiro não existe o mercado de livros.

A Banca Tatuí, que vende publicações de artistas e editoras independentes no bairro de Santa Cecília, também foi selecionada. “Ficamos surpresos e lisonjeados. A iniciativa representa um alívio para as pequenas livrarias, a linha de frente da literatura. Agora tentaremos de alguma forma dividir o benefício com as mais de 200 editoras da Banca Tatuí e Sala Tatuí em alguma ação, que desenvolveremos muito em breve”, comentou o proprietário João Varella.

Ao todo, 213 livrarias se candidataram para receber o apoio. A seleção ficou a cargo de uma comissão formada pelas editoras Companhia das Letras, Melhoramentos, Record e WMF Martins Fontes; pelas distribuidoras Catavento, Disal, Inovação e Loyola; e pela rede Livraria Leitura, que é hoje a maior em número de lojas do Brasil.

Os critérios foram, basicamente: ser média, pequena ou microempresa, ter 50% das atividades dependentes da venda de livros e estar adimplentes e sem protestos até o dia 15 de março, quando as lojas precisaram fechar as portas para conter a disseminação do coronavírus. Empresas que, segundo Martins Fontes, vêm mostrando ao longo dos anos sua seriedade e competência e que “seria um pecado serem fechadas por causa da pandemia”. 

Entre as livrarias de São Paulo selecionadas estão ainda a Casa de Livros, a Panapaná e a Companhia Ilimitada, dedicadas à literatura para crianças, a Livraria do Espaço; e a Mandarina e Livraria da Tarde, inauguradas no final de 2019. Do Rio, a Blooks e a Livraria Da Vinci. Há ainda lojas de Poços de Caldas, Araxá, Passo Fundo, Chapecó, Assis, Guaratinguetá e muitos outros lugares. Veja a lista abaixo.

O anúncio feito nesta quarta, 12, pela Câmara Brasileira do Livro ocorre em um momento ainda mais delicado para o setor, que se mobiliza contra a proposta de reforma tributária que prevê a cobrança de imposto sobre o livro – desde 1946 o produto é isento. “Isso vai destruir uma indústria que é fundamental para o País”, finalizou Martins Fontes enquanto a hashtag #defendaolivro se espalhava pelas redes sociais.

 

Livrarias selecionadas pelo projeto Retomada das Livrarias

  1. Arte & Ciência (Fortaleza)
  2. Banca Tatuí (SP)
  3. Benfica (Fortaleza)
  4. Blooks Livraria (Rio de Janeiro)
  5. Book Stop (SP)
  6. Boutique do Livro (Divinópolis)
  7. Café na Cama (SP)
  8. Casa Cultural (Campinas)
  9. Casa de Livros (SP)
  10. Castro Alves (Araruama)
  11. Chain (Curitiba)
  12. Cirkula (Porto Alegre)
  13. Clube Cultural (Teresópolis)
  14. Companhia Ilimitada (SP)
  15. Cooperativa Cultural (Natal)
  16. Copa Books (Rio de Janeiro)
  17. Favorita (Três Rios)
  18. Flamingo (Juiz de Fora)
  19. Fortlivros (Fortaleza)
  20. Intelecto (Pouso Alegre)
  21. Isasul (Porto Alegre)
  22. Janela Livraria (Rio de Janeiro)
  23. Larpsi (Salvador)
  24. Leonardo Da Vinci (Rio de Janeiro)
  25. Litterarius Livraria Café (Assis)
  26. Livraria da Ladeira (Guaratinguetá)
  27. Livraria da Tarde (SP)
  28. Livraria das Faculdades Chapecó (Chapecó)
  29. Livraria Delta (Passo Fundo)
  30. Livraria do Espaço (SP)
  31. Livraria Francesa (SP)
  32. Livraria Nobel (Araxá)
  33. Livraria Nobel (Brooklin/SP)
  34. Livraria Nobel (Campina Grande)
  35. Livraria Nobel (Shopping Largo 13/SP)
  36. Livraria Pontes (Campinas)
  37. Livroteca Story Time (Brasília)
  38. Livruz (Poços de Caldas)
  39. Malasartes (Rio de Janeiro)
  40. Mandarina (São Paulo)
  41. Panapaná Livraria Infantil (SP)
  42. Politécnica Guanabara (João Pessoa)
  43. Prazer de Ler (Paço do Lumiar)
  44. Prince Books (SP)
  45. Sertão Livraria e Café (Jacobina)
  46. Simples Livraria (SP)
  47. Simusinos (Novo Hamburgo)
  48. Solar do Leitor (Belém)
  49. Timbre Livraria (Rio de Janeiro)
  50. Toque de Letras (Itatiba)
  51. Ugra (SP)
  52. Via Sapiens (Porto Alegre)
  53. Vírgula (SP)

     

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.