Rafael Arbex/Estadão
Rafael Arbex/Estadão

Conceição Evaristo explora suas origens em exposição em São Paulo

'Ocupação' no Itaú Cultural tem originais, fotos, cartas, objetos pessoais e instalações audiovisuais; escritora mineira tem grande parte da sua obra reeditada

Guilherme Sobota, O Estado de S. Paulo

02 Maio 2017 | 19h52

Abre nesta quarta-feira, 3, para convidados, a Ocupação Conceição Evaristo, no Itaú Cultural, em São Paulo – a 34.ª mostra da série explora a história e o trabalho da escritora mineira, que hoje vive em Maricá, no Rio. Doutora em literatura comparada pela Universidade Federal Fluminense (UFF), Conceição também é uma das curadoras da exposição – que coloca à vista originais, fotos, cartas antigas, objetos pessoais e instalações audiovisuais. A exposição fica aberta ao público entre esta quinta-feira, 4, e o dia 18 de junho, e é gratuita.

Conceição completou 70 anos em novembro do ano passado – nascida numa família com condições financeiras desfavoráveis numa favela de Belo Horizonte, ela ressalta que sua história de sucesso é a exceção que confirma a regra. “Aos 70, estou superfeliz. Mas a minha história pessoal é uma história perigosa, porque há uma ilusão. A sociedade brasileira cria oportunidade para uns e não para outros. A regra é cruel”, afirma. “Não quero que essa história seja analisada pelo ângulo da meritocracia, porque a meritocracia apazigua situações (de conflitos). Quero que as histórias de hoje levem as pessoas a pensar nos que ficam para trás.”

Tanto as posições públicas como sua obra nunca perderam de vista o coletivo, fator que ela pretende reafirmar com a Ocupação. “Quero que as pessoas ao verem a exposição quebrem com o imaginário de que as mulheres negras não são capazes. Cuidamos de pessoas, escrevemos, somos médicas, musicistas, filósofas, tudo que qualquer ser humano pode ser”, diz.

Na esteira da exposição, toda sua obra está sendo reeditada. Ponciá Vicêncio (2003) e Becos da Memória (2006), seus dois primeiros romances há tempos fora de circulação, foram relançados pela Pallas. Insubmissas Lágrimas de Mulheres (contos, 2011) e Poemas da Recordação e Outros Movimentos (2008) ganham novas edições pela Malê – que lançou também Histórias de Leves Enganos e Parecenças (2016).

Conceição diz estar trabalhando em novos livros. “Meu cotidiano é de quem lida com as coisas de casa, de quem sai para trabalhar, tenho que atender aos convites de exposição e debates, mas estou sentindo que no segundo semestre vou parar para escrever.” Nos planos, estão dois romances, um livro de contos e a organização de um livro de crítica literária analisando a representação da mulher negra na literatura brasileira.

A Ocupação Conceição Evaristo também terá uma programação de debates e apresentações artísticas (veja abaixo). Esta é a segunda mostra do ano da série – a primeira foi sobre Laura Cardoso –, que em 2017 vai homenagear só mulheres: a curadora de artes visuais Aracy Amaral, a psiquiatra Nise da Silveira e Inezita Barroso.

OCUPAÇÃO CONCEIÇÃO EVARISTO  

Itaú Cultural. Av. Paulista, 149. 3ª a 6ª, das 9h às 20h; sáb., dom. e fer., das 11h às 20h. Grátis. 4/5 a 18/6. 

PROGRAMAÇÃO

6/5, sábado, das 17h às 19h

Lançamento das novas edições. Na ocasião, a escritora venderá e autografará seus títulos já publicados.

6 e 7 de maio, sábado, às 20h, e domingo, às 19h / Sala Itaú Cultural

Recital Minas de Conceição Evaristo - Com Vera Lopes, Glau Barros, Alexandra Pessoa, Emillie Lapa e direção de Jessé Oliveira

10/5, quarta-feira, das 17h às 19h / Piso Paulista

Venda de livros da autora, que estará presente para autografa-los.

quarta-feira, das 19h às 21h / Sala Itaú Cultural

Sóis riscados no chão, lençóis aos ventos, Escrevivência e Ocupação - Masterclass com Conceição Evaristo, na qual ela fala sobre a sua vida, trabalho e obra.

24/5, quarta-feira, às 19h / Sala Itaú Cultural

Vozes-mulheres: múltiplas escrevivências de autoria africana e afro-diaspórica - Mesa com Conceição Evaristo e a professora de literatura brasileira da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), Constância Lima Duarte, a doutora em literatura comparada pela UFMG, Maria Nazareth Soares Fonseca, e a doutoranda em letras pela Universidade Estadual de Maringá (UEM), Rosangela A. Cardoso da Cruz.

31/5, quarta-feira, às 19h / Sala Itaú Cultural

Mulheres Negras: arte e militância - Mesa com Conceição Evaristo, a doutora em Educação pela USP Sueli Carneiro, a ativista, fundadora da Criola e diretora executiva da Anistia Internacional Brasil Jurema Werneck e a cineasta Yasmin Thayná.

10 3 11 de junho, sábado, às 20h, e domingo, às 19h / Sala Itaú Cultural

Canto de Vida e Obra - Espetáculo com a atriz Marilza Batista, a musicista Mariana Per, a dançarina Malú Avelar e os músicos Leo Carvalho, Ronaldo Gama e Renato Gama, que cantam e contam a vida e a obra de Conceição.

*

27/5, sábado, das 10h às 13h / Sala Vermelha

Encontro com professores Especial - Conceição Evaristo. Encontro conduzido pela própria Conceição com a proposta de discutir a diversidade social e étnica da sociedade brasileira  por meio de textos literários. A autora também compartilha suas experiências 

como escritora e professora da rede pública da cidade do Rio de Janeiro. Com inscrição prévia (50 vagas): de 23 a 26 de maio pelo site www.itaucultural.org.br Mais informações pelo telefone 2168-1876.

*

De 7 de maio a 18 de junho - Todos os domingos, às 17h / Piso -1

Mãos no barro: modelando histórias de Conceição - Vivência conduzida pelos educadores do Itaú Cultural, convida o público a entrar em contato com a obra de Conceição Evaristo criando figuras e objetos em argila. Duração aproximada - 90 minutos Com inscrição prévia (20 vagas): 30 minutos antes (Piso Térreo). Indicado para maiores de 10 anos. Com interpretação em Libras.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.