Olivier Middendorp
Olivier Middendorp

Companhia das Letras entra no negócio dos audiolivros

Grupo editorial começou a operação em parceria com a plataforma de audiobooks do Google, a Google Play Livros

O Estado de S. Paulo

30 de agosto de 2018 | 11h11

O livro 21 Lições para o século 21, de Yuval Noah Harari, é o primeiro audiolivro do Grupo Companhia das Letras, lançado nesta quinta-feira, 30, de acordo com um comunicado da editora. O livro marco o início da comercialização dos títulos do grupo em formato audiobook.

A edição em áudio será vendida por R$ 39,90 e estará disponível para compra no Google Play Store e Google Play Livros, a livraria online do Google, para dispositivos Android e também web. O livro também pode ser reproduzido em iPhones e iPads pelo aplicativo para iOS. A compra, porém deve ser feita pelo computador ou Android. 

Outros 14 títulos da editora também já têm formato audiolivro: A dieta da mente, de Dr. David Perlmutter e Kristin Loberg, Anatomia de um desastre, de Claudia Safatle, João Borges e Ribamar Oliveira, Antes do baile verde, de Lygia Fagundes Telles, Casos e casos, de Esther Perel, Dias perfeitos, de Raphael Montes, Felicidade dá lucro, de Márcio Fernandes, Inquebrável, de Pablo Miyazawa e Fernando Fernandes, que narra o livro, Inteligência positiva, de Shirzad Chamine, Mindset, de Carol S. Dweck, O livro dos ressignificados, de João Doederlein, @akapoeta, com narração do próprio autor, O monge que vendeu sua Ferrari, de Robin Sharma, Trópicos utópicos, de Eduardo Giannetti e Um coração ardente, de Lygia Fagundes Telles.

Também estão previstas ainda para este ano as versões de O Sol na cabeça e Quem tem medo do feminismo negro?. Os autores Geovani Martins e Djamila Ribeiro farão a narração de suas respectivas obras.

Nos Estados Unidos, os audiobooks representam um mercado consolidado. No ano passado, segundo a Audio Publishers Association (APA), o segmento faturou mais de US$ 2,5 bilhões nos EUA, um crescimento de 22,7% com relação a 2016. 

Segundo dados de uma pesquisa realizada nos Estados Unidos e divulgada pela Audio Publishers Association (APA), são três as principais vantagens identificadas pelos usuários da plataforma: poder fazer outras coisas enquanto ouvem (81%), possibilidade de ouvir em qualquer lugar (80%) e audiolivros são portáteis (75%).

Para ouvir os audiolivros da Companhia das Letras, é necessário o aplicativo do Google Play Livros. No Brasil, outras plataformas de audiolivros já estão funcionando há tempos, como a Ubook e a TocaLivros. A Amazon negocia chegada do Audible ao País.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.