SP Leituras
SP Leituras

Com a francesa Mélanie Archambaud, seminário discute os desafios das bibliotecas

O encontro espera reunir, até quarta, 25, 700 bibliotecários, agentes de leitura e profissionais do livro e da área da educação preocupados com a formação de leitores e o presente e futuro das bibliotecas

Maria Fernanda Rodrigues, O Estado de S.Paulo

22 Outubro 2017 | 18h53

A questão mais urgente para as bibliotecas hoje – além da luta para garantir que o poder público as apoiem financeiramente, é que elas abracem a evolução da sociedade. Essa é a opinião da francesa Mélanie Archambaud, que já trabalhou no inovador Centro de Informação do Centro George Pompidou e é responsável pela cooperação da rede de bibliotecas públicas municipais em Bordeaux.

Archambaud está em São Paulo, onde abre nesta segunda-feira, 23, o 10.º Seminário Internacional de Bibliotecas Públicas e Comunitárias com a palestra Novas Formas de Mediação nas Bibliotecas Francesas. O encontro espera reunir, até quarta, no Centro de Convenções Rebouças, 700 bibliotecários, agentes de leitura e profissionais do livro e da área da educação preocupados com a formação de leitores e o presente e futuro das bibliotecas.

Segundo Pierre Ruprecht, diretor da SP Leituras, organização social que coordena o Sistema Estadual de Bibliotecas Públicas e administra as bibliotecas São Paulo e Parque Villa-Lobos, entre outras atribuições, o seminário tem dois objetivos: “mostrar – e discutir sobre – o que de melhor se está fazendo em termos de biblioteca pública em todo o mundo e servir de momento de encontro e de inspiração para as equipes das bibliotecas locais”. A entrada é gratuita e as inscrições podem ser feitas na hora.

Além da bibliotecária francesa, participam do seminário a alemã Gabriele Ceseroglu, que trabalha em projeto de incentivo à leitura em várias línguas na Biblioteca Pública de Colônia e fala sobre a biblioteca como território cultural; e o argentino Leandro de Sagastizábal, que fará a palestra Bibliotecas Populares: Um Projeto de Articulação Entre a Sociedade e o Estado para a Leitura. 

Já a croata Mirela Roncevic, criadora do portal No Shelf Required e com ampla experiência em conteúdo digital, fará uma palestra virtual e contará sobre seu projeto Free Reading Zone. 

Bibliotecários brasileiros também vão apresentar seus projetos e ideias e a organização convidou dois autores para bate-papo com o público: Laerte Coutinho e André Vianco.

“A formação me parece fundamental para mudar a mentalidade e imaginar a biblioteca do amanhã – uma biblioteca participativa, viva e conectada, que não gire exclusivamente em torno do livro”, completa Mélanie Archambaud.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.