AFP PHOTO / YURI CORTEZ
AFP PHOTO / YURI CORTEZ

Colômbia irá imprimir cédulas com rosto de García Márquez

O projeto de lei também exige que certos locais de sua região natal sejam preservados para o turismo

REUTERS

18 Dezembro 2014 | 11h32

O Banco Central da Colômbia irá imprimir cédulas para homenagear Gabriel García Márquez, o mais cultuado escritor do país, que morreu em abril e que é visto como o pai do estilo literário conhecido como realismo mágico.

O Congresso colombiano aprovou um projeto de lei instruindo o banco a estampar a imagem de “Gabo”, como ele era afetuosamente chamado, nas próximas notas que produzir. A lei também exige que certos locais de sua região natal sejam preservados para o turismo.

O escritor prolífico, que começou a carreira como repórter de jornal, ficou famoso por sua obra-prima Cem Anos de Solidão, que contribuiu para o Prêmio Nobel de Literatura em 1982. Credita-se a ele ter despertado a América Latina para milhões de leitores com suas histórias de amor e saudade.

“Gabo deixou uma coleção extraordinária de obras literárias e jornalísticas, cuja distribuição, leitura e estudo devem ser ativamente divulgados”, teria dito o congressista Antenor Durán segundo o jornal El Espectador.

García Márquez morreu aos 87 anos em sua casa na Cidade do México depois de sofrer durante algum tempo com uma pneumonia. Seus arquivos, incluindo manuscritos, álbuns de foto, máquinas de escrever e computadores, foram adquiridos pela Universidade do Texas no mês passado.

A maioria das cédulas de peso colombiano trazem imagens de pessoas que foram importantes na luta pela independência da Espanha no século 19. O poeta romântico Jorge Isaacs é retratado na maior nota em circulação, no valor de 50.000 pesos (20,44 dólares).

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.