Reprodução
Reprodução

Cidade japonesa cria residência para mulheres que querem ser mangakás

Niigata, conhecida por ser a cidade natal de importantes artistas, quer incentivar carreira de mulheres entre 18 e 30 anos

EFE

06 de fevereiro de 2015 | 09h00

Com o objetivo de promover o mangá feminino e impulsionar a carreira de autoras iniciantes, a cidade japonesa de Niigata abrirá em março uma residência exclusiva para mulheres que querem se tornar mangakás (desenhistas de mangá), informou o jornal Asahi.

Komachi House, que é como se chamará o espaço, será uma versão feminina do célebre prédio de Tóquio, o Tokiwa, por onde passaram, entre os anos 1950 e 1960, criadores como Osamu Tezuka e Shotaro Ishinomori, duas das grandes referências da indústria nipônica de história em quadrinhos.

Durante a estadia no local, que não poderá durar mais do que dois anos, as artistas não pagarão aluguel e receberão aulas de professores do Instituto de Animação e Mangá de Niigata. Também participação de seminários de empreendedorismo que devem prepará-las para uma carreira profissional independente.

O governo permitirá que as participantes colaborem em projetos da cidade relacionados a mangá e anime. Além disso, vão poder fazer desenhos e ilustrações para folhetos e cartazes.

Apenas quatro mulheres serão escolhidas - elas não podem ser estudantes e devem ter entre 18 e 30 anos.

Niigata é a cidade natal de mangakás consagrados como Shinji Mizushima e Rumiko Takahashi, criadora de Ranma 1/2.

Tudo o que sabemos sobre:
LiteraturaMangáHQ

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.