Captura de tela/Facebook
Captura de tela/Facebook

Chico Buarque agradece ao Prêmio Camões em vídeo; veja

Escritor, cantor e compositor enviou mensagem a Portugal no dia 25 de abril, quando seria realizada a cerimônia de entrega da distinção mais importante da língua portuguesa

Guilherme Sobota, O Estado de S. Paulo

27 de abril de 2020 | 18h25

O escritor, cantor e compositor Chico Buarque enviou a Portugal um vídeo em agradecimento ao Prêmio Camões, que foi a ele outorgado em 2019. A cerimônia de entrega seria realizada no país no último sábado, dia 25 de abril, mas por conta da pandemia foi cancelada. Na mensagem divulgada pela Companhia das Letras Portugal, o artista manda uma saudação aos portugueses e lamenta o fato de não poder estar lá (veja abaixo).

"Esta tarde, deixarei na janela cravos vermelhos e cantarei, em alto e bom som, Grândola (Vila Morena), de Zeca Afonso", disse Chico, referindo-se a dois símbolos da Revolução dos Cravos, movimento que derrubou o regime ditatorial de inspiração fascista de Portugal em 1974.

"Se possível, peço ainda a vocês que guardem o pensamento para os seus irmãos brasileiros, que estão mais do que nunca necessitados de um cheirinho de alecrim", disse, citando a canção Tanto Mar, de 1978, feita em homenagem à guinada democrática do país europeu nos anos 1970 e censurada pela ditadura brasileira.

Em outubro de 2019, Jair Bolsonaro disse que só assinaria o diploma do Prêmio Camões, destinado a Chico Buarque, em 31 de dezembro de 2026 (último dia de um segundo mandato). O cantor e compositor fez na ocasião uma rara declaração em sua página no Instagram. "A não assinatura do Bolsonaro no diploma é para mim um segundo prêmio Camões", dizia o post do músico. 

Criado em 1988 pelos governos do Brasil e de Portugal, o Prêmio Camões elege a cada ano um escritor de países onde o português é a língua oficial. A eleição de Chico, segundo o júri, foi definida a partir da qualidade de seu trabalho e também pela “contribuição para a formação cultural de diferentes gerações em todos os países onde se fala a língua portuguesa”. Também pelo “caráter multifacetado”, uma vez que Chico escreve para teatro, além de romances e da poesia de suas canções. “Seu trabalho atravessou fronteiras e mantém-se como uma referência fundamental da cultura do mundo contemporâneo”, afirmaram os jurados, em nota.

Veja o vídeo de Chico Buarque:

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.