Casal Seinfeld nega ter cometido 'plágio vegetal'

O comediante Jerry Seinfeld e sua mulher negaram que Jerry tenha difamado na televisão a autora de um livro de culinária rival e pediram que seja arquivada uma ação movida contra eles por plágio envolvendo seu livro. De acordo com a ação movida por Missy Chase Lapine, o livro de Jessica Seinfeld, "Deceptively Delicious: Simple Secrets to Getting Your Kids Eating Good Food" (Enganosamente delicioso -- Segredos simples para conseguir que seus filhos comam alimentos saudáveis) foi publicado pela Harper Collins em 2007, seis meses após o livro da própria Chase Lapine "The Sneaky Chef: Simple Strategies for Hiding Healthy Foods in Kids' Favorite Meals" (O chef sorrateiro -- Estratégias simples para ocultar alimentos saudáveis nas refeições prediletas de seus filhos). No pedido de arquivamento da ação por plágio, os advogados de Seinfeld reconhecem que, no programa "Late Show with David Letterman", ele fez uma piada sobre Lapine, mas disseram que a brincadeira não chegou a ser uma difamação. "Jerry Seinfeld expressou opiniões de forma exagerada com vistas a criar efeito cômico", diz a moção dos advogados. Lapine, que em janeiro abriu um processo pedindo indenização de valor não especificado, disse que o livro de Jessica Seinfeld plagiou o dela em termos de seu conceito, arte de capa, estilo e estrutura. A ação dela disse também que, no programa de David Letterman, Jerry Seinfeld sugeriu que Lapine seja "doida" e que persegue celebridades, e também que ela teria acusado publicamente sua mulher de "plágio vegetal." Nos documentos registrados no tribunal na sexta-feira, porém, os advogados do casal Seinfeld disseram que, apesar da idéia básica de um livro sobre como convencer crianças a comer alimentos saudáveis -- que não constitui infração de direitos autorais --, os livros diferem "em termos de estilo, design, organização e aparência."

REUTERS

26 Fevereiro 2008 | 16h04

Mais conteúdo sobre:
LIVRO SEINFELD PLAGIO VEGETAL

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.