Jacques Demarthon/AFP
Jacques Demarthon/AFP

Carta de Baudelaire anunciando sua intenção de suicídio será leiloada

Na carta enviada para sua amante, Jeanne Duval, o poeta escreveu sobre a tentativa, à qual sobreviveu em 1845

AFP

30 Outubro 2018 | 15h11

Uma comovente carta de Charles Baudelaire anunciando sua intenção de cometer suicídio, tentativa à qual sobreviveu em 1845, será leiloada no domingo, 4, com 34 outras cartas do autor de As Flores do Mal pela casa de leilões Osenat.

"Quando a senhorita Jeanne Lemer entregar-lhe esta carta, vou estar morto (...) Morro em terrível inquietação (...) Eu me mato porque não posso mais viver, a fadiga do sono e a fadiga do despertar é insuportável", escreveu à sua amante Jeanne Duval o poeta mal compreendido de sua família, oprimido por problemas do dinheiro e álcool, em dúvida sobre seu talento literário.

Naquele momento, tinha 24 anos e se esfaqueou sem consequências graves. Ele viveu outros 22 anos.

Esta carta, avaliada entre 60.000 e 80.000 euros, será o destaque do leilão desta casa com sede em Fontainebleau, a sudeste de Paris. Outros textos de Baudelaire estarão disponíveis: um poema de amor Les promesses d'un visage, anotações contestando as críticas literárias de As Flores do Mal, escritos onde descreve seu tédio, "ideias obscuras", sua "raiva", o ódio da "canalhice francesa".

Cartas de Barbey d'Aurevilly, de Eugène Delacroix, de Victor Hugo e de Édouard Manet a ele também estarão à venda.

Muitos escritores dos séculos XIX e XX estarão neste leilão, como rascunhos de Emile Zola, seu 17º romance da série Rougon-Macquart e homenagem às ferrovias, corrigidas a mão pelo romancista do realismo social. Os escritos de Zola em mãos privadas são muito raros, uma vez que quase todos foram entregues à Biblioteca Nacional francesa.

Também serão leiloados duas cartas de Marcel Proust para sua mãe e um retrato fotográfico de 1896 com Lucien Daudet, filho de Alphonse Daudet, olhando carinhosamente para o escritor e apoiando-se em seu ombro. Uma imagem escandalosa aos olhos da família de Proust.

Documentos e cartas de Hector Berlioz, Louis-Ferdinand Céline, de Sigmund Freud, Gustave Flaubert, de Albert Einstein, Stéphane Mallarmé, Paul Verlaine e Jean-Paul Sartre, para citar apenas alguns que vão brilhar no leilão.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.