Booker Prize
Booker Prize

Booker Prize: Autores dos EUA, Zimbábue, Etiópia e Escócia são finalistas

Tsitsi Dangarembga, do Zimbábue, e Maaza Mengiste, da Etiópia, já foram publicados no Brasil

Redação, O Estado de S.Paulo

15 de setembro de 2020 | 13h38

O Booker Prize, relevante prêmio literário internacional, revelou nesta terça-feira, 15, seus finalistas da edição 2020. 

A lista final de seis obras conta com três autores norte-americanos (Diane Cook, Avni Doshi e Brandon Taylor), um escocês Douglas Stuart, uma etíope (Maaza Mengiste) e um zimbabuano (Tsitsi Dangarembga).

Dos seis livros finalistas, quatro foram lançados por editoras independentes e dois dos autores, Maaza Mengiste e Tsitsi Dangarembga já foram publicados no Brasil, pelas editoras Record e Kapulana.

Os livros finalistas são: 

  • This mournable body, de Tsitsi Dangarembga
  • The shadow king, de Maaza Mengiste
  • The new wilderness, de Diane Cook
  • Burnt sugar, de Avni Dosh
  • Shuggie Bain, de Douglas Stuart
  • Real life, de Brandon Taylor

This Mournable Body é o desfecho da trilogia de Tsitsi Dangarembga, cujo primeiro livro, Condições Nervosas, está disponível no Brasil.

The Shadow King, de  Maaza Mengiste, trata da perspectiva feminina da guerra, situado na Etiópia em 1935.

The New Wilderness, de Diane Cook, é uma ficção científica ambiental sobre mudanças climáticas.

Burnt Sugar, de Avni Dosh, fala da relação de mãe e filha situado em Dubai.

Shuggie Bain é o trabalho de estreia de Douglas Stuart e retrata um filho enfrentando o alcoolismo da mãe.

Real Life se passa durante um fim de semana em que um estudante de bioquímica tenta se acertar com seus próprios demônios interiores.

Tudo o que sabemos sobre:
literaturaMan Booker Prize

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.