Richard Drew/ AP
Richard Drew/ AP

Biografia de Philip Roth tem nova editora, depois das acusações de abuso sexual contra seu autor

'Philip Roth: The Biography', de Blake Bailey, acusado de abuso sexual, sairá pela Skyhorse Publishing, mesma editora que publicou a biografia de Woody Allen, também cancelada por outra editora

Hillel Italie, AP

17 de maio de 2021 | 10h09

A esperada biografia de Philip Roth, que foi retirada das livrarias americanas no mês passado em meio a acusações de agressão sexual e assédio contra o biógrafo Blake Bailey, tem uma nova editora. A Skyhorse Publishing confirmou  à Associated Press, na segunda-feira, 17, que Philip Roth: The Biography estará disponível em brochura a partir de 15 de junho, e espera ter o e-book e as edições de áudio prontos na quarta-feira.

A biografia de 900 páginas de Bailey foi iniciada em 2012 e escrita com a participação de Philip Roth, que morreu em 2018.

Lançado no início de abril por W.W. Norton & Company, Philip Roth recebeu principalmente críticas positivas, embora os críticos do The New York Times e The New Republic considerassem Bailey muito indulgente com o comportamento de Roth em relação às mulheres. O livro logo alcançou a lista de mais vendidos do Times, entre outros.

Mas duas semanas após a publicação, reportagens do Los Angeles Times, New Orleans Times-Picayune e da AP, entre outros, apresentavam citações extensas e registradas de ex-alunos de Bailey quando ele era professor do ensino médio em New Orleans, na década de 1990. Os alunos alegaram um padrão de comportamento impróprio. Dois ex-alunos e a executiva da editora Valentina Rice alegaram que ele os agrediu. O relato de Rice apareceu pela primeira vez no The New York Times.

A editora Norton inicialmente interrompeu a impressão e a promoção do livro, mas, em seguida, retirou-o completamente de circulação, junto com um livro de memórias de Bailey lançado em 2014, The Splendid Things We Planned.

No Brasil, a Companhia das Letras detém os direitos de tradução e até havia iniciado o trabalho de versão para o português, mas interrompeu depois do anúncio da Norton. A editora não se pronunciou ainda sobre a decisão da Skyhorse.

Os termos financeiros do acordo Skyhorse não foram divulgados. Bailey, que escreveu biografias aclamadas dos autores John Cheever e Richard Yates, negou qualquer irregularidade.

Bailey foi amplamente condenado, mas nem todos concordaram com a decisão de Norton. A colunista do The Nation, Katha Pollitt, supõe que Bailey era cúmplice da visão de Roth sobre as mulheres, mas acreditava que "os leitores deveriam ter a chance de comprar o livro e chegar às suas próprias conclusões".

Para observadores da indústria do livro, o anúncio de Skyhorse não foi uma grande surpresa. No ano passado, Skyhorse publicou o livro de memórias de Woody Allen, lançado no Brasil pela Editora Globo, depois de ser rejeitado pelo grupo Hachette Book, onde os funcionários fizeram uma greve em protesto. A filha de Allen, Dylan Farrow, alegou que ele a molestou quando ela tinha 7 anos, o que foi negado por Allen.

Mais recentemente, a Skyhorse fez um acordo para publicar dois livros do autor, colunista e apresentador de rádio Garrison Keillor, dispensado pela Minnesota Public Radio e The Washington Post em 2017-18, por acusações de assédio. Os livros incluem o livro de memórias Aquela Época do Ano, um lançamento no segundo semestre em que Keillor deve abordar as acusações.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.