REUTERS/Kim Kyung-Hoon
REUTERS/Kim Kyung-Hoon

Bibliotecas do Japão esperam que esterilizador de raios UV tranquilize visitantes

A máquina leva cerca de 30 segundos para esterilizar um livro com luz ultravioleta e ainda sacode as páginas para tirar a poeira

Reuters, O Estado de S.Paulo

10 de dezembro de 2020 | 09h46

Bibliotecas do Japão estão torcendo para que uma máquina que esteriliza livros usando luz ultravioleta convença os visitantes a retirarem publicações durante a pandemia de coronavírus.

Bibliotecas de todo o país estão instalando a máquina, que leva cerca de 30 segundos para esterilizar um livro com luz ultravioleta e que sacode as páginas para tirar a poeira.

A Biblioteca Narimasu de Itabashi, situada ao sul de Tóquio, tem uma máquina do tipo desde 2018, mas seu gerente disse que agora ela está sendo usada três vezes mais.

Os próprios clientes podem usar a máquina, que fica perto da recepção, quando retiram um livro e novamente ao devolvê-lo – mas isso não é obrigatório.

Para muitos dos que estavam na biblioteca nesta quarta-feira, a máquina é algo tão novo quanto era o gel antisséptico contra Covid-19.

Eriko Isozaki, que vai à biblioteca semanalmente para emprestar livros infantis, disse que o aparelho divertiu seu filho, que pareceu fascinado com a ultravioleta azul.

"Não sei o quão eficiente é, mas acho que é melhor do que nada", disse Isozaki. "E é divertida. Meu filho parece gostar de ver (a máquina)."

Muitos dos clientes da biblioteca são idosos, por isso mantê-los seguros é extremamente importante. Muitos deles usaram a máquina ao devolver livros, como Yasuhito Kobayashi, de 77 anos. "Sinto-me aliviado, porque ela esteriliza os livros... mas não tenho certeza se é realmente eficiente."

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.