TASSO MARCELO/AGENCIA ESTADO/AE
TASSO MARCELO/AGENCIA ESTADO/AE

Artistas e personalidades lamentam a morte de Luiz Alfredo Garcia-Roza

O escritor carioca criou o detetive Espinosa, e foi considerado um dos mestres do romance policial no Brasil

Redação, O Estado de S.Paulo

16 de abril de 2020 | 12h53

Artistas e personalidades lamentam a morte do escritor Luiz Alfredo Garcia-Roza, morto nesta quinta-feira, 16, aos 84 anos de idade. Criador do detetive Espinosa, ele é autor de mais de uma dezena de romances policiais e era considerado um dos mestres do gênero no Brasil. 

A escritora Ivana Arruda Leite prestou homenagem ao escritor.


O jornalista e escritor Sergio Augusto lembrou do estilo de Luiz Alfredo, semelhante ao do escritor Rubem Fonseca, morto ontem, 15.


A escritora Tatiana Salem Levy lembra de quando conheceu o escritor. "Acabamos nos conhecendo, nos cruzando algumas vezes no circuito literário - ele sempre doce."


O telenovelista Walcyr Carrasco lamentou a morte de Garcia-Roza.


A escritora Letícia Dornelles prestou homenagem ao escritor.

  O escritor português Francisco J. Viegas prestou homenagem ao escritor. "O grande criador do policial brasileiro."

 

O escritor Marcelino Freire também se manifestou nas redes sociais:

O escritor Raphael Montes, que seguiu os passos de Garcia-Roza na literatura policial, falou de sua influência:


O escritor André Leones.


O jornalista e escritor Marçal Aquino.

 

Tudo o que sabemos sobre:
Luiz Alfredo Garcia Rozaliteratura

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.