Amazon lança serviço de assinatura para livros

Espécie de "Netflix" para e-books, Kindle Unlimited promete um catálogo de 600 mil títulos para clientes da empresa

AP

18 de julho de 2014 | 19h13

A Amazon lançou oficialmente nesta sexta-feira, 18, um novo serviço de assinatura que vai permitir aos usuários acesso ilimitado a milhares de e-books por meio do Kindle, leitor digital dedicado da empresa. Disponíveis apenas para os usuários dos Estados Unidos, o serviço vai custar US$ 9,99 por mês.

A companhia disse por meio de comunicado que o Kindle Unlimited vai dar aos usuários a possibilidade de ler o quanto puderem entre os mais de 600 mil livros disponíveis no catálogo da loja virtual. Mais de 2 mil audiolivros também serão disponíveis na assinatura.

Um período de 30 dias de uso gratuito é oferecido para os clientes testarem o serviço. A iniciativa é uma leve mudança nas últimas estratégias da Amazon, que há tempos vinha dedicando novidades aos assinantes do Prime (espécie de programa de fidelidade), como entregas aos domingos e um novo smartphone. O Kindle Unlimited pode ser usado por qualquer pessoa que possua um Kindle ou usem um aplicativo de leitura da empresa.

O anúncio vem em um momento delicado para a Amazon, que passa por problemas nas negociações com grandes editoras no que diz respeito a preços de vendas de livros digitais. Os termos que a Amazon acertou com as editoras para o Kindle Unlimited, como de costume, não foram divulgados.

Três editoras entre as Big 5, conjunto dos maiores grupos do mercado americano, não participam do novo programa: Hachette, HarperCollins e Simon & Schuster. A Penguin Random House e Macmillan preferiram não comentar o serviço.

O Kindle Unlimited oferece títulos de grande apelo, como a trilogia de O Senhor dos Anéis e a série Harry Potter, e clássicos, como os livros de George Orwell.

Alguns analistas estão céticos com o serviço. Michael Pachter, da companhia financeira Wedbush, afirma que o preço mensal não faz sentido para o leitor médio, que lê um livro por mês, e para o leitor ávido, a seleção limitada (apenas parte do catálogo integra o programa). “A Amazon está jogando coisas na parede para ver o que gruda”, disse.

O serviço de assinatura para livros digitais também não é inédito. O site Scribd oferece um serviço semelhante por US$ 8,99, e a Oyster oferece uma assinatura de US$ 9,95, para catálogos entre 400 mil e 500 mil livros. A vantagem da empresa de Seattle é a imensa base de clientes e usuários do Kindle.

De acordo com o site eMarketer, mais de 79 milhões de pessoas vão utilizar um e-reader (como o Kindle) nos Estados Unidos em 2014. Pessoas entre 45 e 54 anos compõem a maior parte deste público.

Tudo o que sabemos sobre:
AmazonMercado Editorial

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.