Bob Wolfenson
Bob Wolfenson

Acervo de Antonio Candido e Gilda de Mello e Souza deve abrir a pesquisas em 2019

Em depoimento, Laura Escorel relata o atual estado dos trabalhos no Instituto de Estudos Brasileiros da Universidade de São Paulo

Laura Escorel, Especial para O Estado de S. Paulo

18 Julho 2018 | 06h00

Iniciado em abril de 2018, o Projeto de Organização do Acervo Pessoal de Antonio Candido e Gilda de Mello e Souza tem por objetivo o processamento técnico dos documentos doados pela família ao Instituto de Estudos Brasileiros (IEB) da Universidade de São Paulo. A etapa de higienização já foi concluída, os trabalhos de reparo e classificação iniciados, e a conclusão da descrição documental está prevista para dezembro de 2019, quando o acervo será disponibilizado para consulta pública. 

+ Antonio Candido, 100 anos

O trabalho de preservação e difusão deste acervo se coloca, para além da relevância da produção intelectual de ambos os professores, como um exercício para a construção de uma cultura que valorize a memória no Brasil, prática que muitas vezes nos permita rever as narrativas oficiais, iluminando pontos que esta buscou apagar. 

*Laura Escorel, designer e pesquisadora, supervisora do Projeto de Organização do Acervo Pessoal de Antonio Candido e Gilda de Mello e Souza no IEB-USP e curadora da Ocupação Antonio Candido, em parceria com a equipe do Instituto Itaú Cultural. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.