Reprodução
Reprodução

10 frases para lembrar Fernando Pessoa nos 80 anos de sua morte

No aniversário de morte do maior poeta de língua portuguesa, selecionamos frases sobre amor, literatura, morte e outros temas

Redação, O Estado de S. Paulo

30 de novembro de 2015 | 11h45

Há 80 anos morria Fernando Pessoa (1888-1935), o maior poeta de língua portuguesa. E morriam Álvaro de Campos, Ricardo Reis, Alberto Caeiro e Bernardo Soares, seus heterônimos. O Estado selecionou 10 frases inesquecíveis do poeta português. Há muitas outras em O Livro das Citações (Record), organizado por José Paulo Cavalcanti Filho.

Confira:

1. "A literatura é a maneira mais agradável de ignorar a vida"

2. "A literatura, como toda a arte, é uma confissão de que a vida não basta"

3. "Estou hoje lúcido, como se estivesse para morrer"

4. "Todo mal do mundo vem de nos importarmos uns com os outros,

Quer para fazer bem, quer para fazer mal.

A nossa alma e o céu e a terra bastam-nos.

Quer mais é perder isto, e ser infeliz"

5. "Tantas vezes me sinto real como uma metáfora"

6. "A morte é o desprezo do universo por nós"

7. "Todos os ocasos fundiram-se em minha alma"

8. "O ódio é mais intermitente que o afeto"

9. "A minha alegria é tão dolorosa como a minha dor"

10. "Amar é cansar-se de estar só"

E um bônus clássico:

"Tudo vale a pena

Se a alma não é pequena"

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.