Ziggy Marley embala público com clássicos do pai

O cantor e compositor jamaicano Ziggy Marley foi recepcionado, anteontem, no palco do Pop Music Festival por uma chuvinha fria e um público morno, que ainda estava tentando entender o que se passava com os horários dos shows. Assim como Chimarruts e Train, Ziggy teve de antecipar sua apresentação em meia hora. Foi deslocado para as 18h40. Assim, quem havia se programado para estar no Estádio do Morumbi às 19h10, para ver de perto o filho do lendário Bob Marley, encontrou o cantor quase na metade do caminho.

AE, Agência Estado

21 de março de 2011 | 10h36

Àquela altura, Ziggy já cantava "Tomorrow People", um de seus hits à frente da banda The Melody Makers, também formada por seus irmãos Stephen, Sharon e Cedella. Dessa fase de bandleader, que durou cerca de 15 anos, Ziggy ainda trouxe para o set list "Look Who''s Dancing". Incluiu exemplares da carreira solo, como "Love Is My Religion", mas foi relembrando os clássicos do pai que conseguiu arrancar algum entusiasmo do público, como "Is This Love?" e "Get Up, Stand Up".

Para quem vê Ziggy Marley no palco, percebe que ele carrega traços físicos marcantes do pai. Para quem fecha os olhos e simplesmente o escuta cantar, tem a sensação de estar ouvindo o próprio Bob, tamanha a semelhança dos timbres. Ziggy não tem problemas com isso. Já declarou que tem orgulho em seguir levando a mensagem do pai. Mesmo sendo esta uma grande responsabilidade. Em recente entrevista, o músico de 42 anos afirmou que ele e sua família devem organizar uma grande mostra sobre Bob Marley, em memória aos 30 anos de sua morte, que serão celebrados em 11 de maio.

Train - Eram 17h30 quando a banda californiana Train entrou no palco do Pop Music Festival, ainda com a luz do dia. Trinta minutos antes do horário marcado. A antecipação do show pegou muita gente de surpresa. O vocalista do Train, Patrick Monahan, provavelmente percebeu que o público estava estranho. Para esquentar a plateia, entre a primeira e a segunda música do show, "If It?s Love" e "Get To Me", eles improvisaram o solo de guitarra de "Hey, Soul Sister!", o grande hit do grupo. O público retribuiu com gritos e aplausos.

O show teve apenas oito canções, quase todas do último disco da banda, "Save Me, San Francisco", sendo que uma dessas foi um cover de "Umbrella", famosa na voz de Rihanna. Mas Train tinha ainda duas cartas na manga para não deixar a plateia esfriar. A primeira foi, depois de jogar várias camisas com o logotipo da banda para o público, convidar sete garotas para subirem ao palco e cantarem juntos "She?s on Fire". Logo depois, durante a execução da música "Marry Me", Patrick desceu do palco e caminhou entre a plateia. Com quatro seguranças ao seu lado, os fãs puderam abraçá-lo e cantaram juntos o refrão da música. A banda encerrou a apresentação tocando "Hey, Soul Sister!". As informações são do Jornal da Tarde.

Tudo o que sabemos sobre:
músicaZiggy MarleyTrain

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.