Zé Celso lançará manifesto pelo Bexiga

Na festa de aniversário da cidadede São Paulo, o diretor José Celso Martinez Corrêa convida osmoradores do bairro do Bexiga para uma celebração gratuita noTeatro Oficina (Rua Jaceguai, 520 ), a partir das 17 horas."Depois de comer o bolo de 448 metros feito no Bexiga, venhamcomer o Manifesto Bexigão", convida o diretor. O manifesto foirebatido pelo Grupo Silvio Santos em nota oficial intitulada "Compostura e Respeito", enviada àreportagem. No longo texto que será lido publicamente por Zé Celso,o diretor do Oficina faz uma proposta de parceria com o GrupoSilvio Santos, para revitalização da área que cerca o prédio doOficina, área esta de propriedade do Grupo SS, que planejaconstruir nesse espaço um Centro de Entretenimento e Lazer. Segundo a assessoria de imprensa do grupo, havia umcompromisso de sigilo em torno da proposta e, na nota oficial, ogrupo "lamenta que uma data festiva como o aniversário dacidade, os 448 anos de nossa São Paulo, seja manipulada porpessoas que buscam retirar o debate do âmbito do MinistérioPúblico para satisfazer interesses particulares". Entre outras coisas, Zé Celso propõe a transformação daárea "num centro de formação cultural e artística da populaçãode São Paulo". E no lugar de um prédio verticalizado, um tipode revitalização horizontal, com preservação de característicasarquitetônicas, nos moldes do que foi feito na Lapa, no Rio deJaneiro, "a Lapa está virando um Maracanã de cultura popularviva, um milagre" ou no Candial, na Bahia, "a maravilhosaágora do candial em Salvador dirigida pelo gênio de CarlinhosBrown". "Não há como trocar idéias a respeito de um textoconfuso que, num ponto admite que ´suas exigências parecem estarsatisfeitas´ e em outros expressa novas e mutáveis exigências,algumas até de aparência insana, sempre prevendoinstransigentemente o uso, em benefício próprio, de terrenosprivados que não lhe pertencem e de investimentos alheios", dizum trecho da nota oficial do Grupo Silvio Santos, enviada peloescritório do assessor de imprensa do grupo, Carlos Brickmann. O manifesto-proposta foi entregue no dia 15 aoprocurador Dr. Roberto Carramenha que acompanha um inquéritoaberto na Procuradoria do Meio Ambiente com o objetivo de"investigar o grau de interferência que o projeto do Grupo SSpode causar ao Teatro Oficina, bem tombado pelo Conselho deDefesa do Patrimônio Histórico, Arqueológico, Artístico eTurístico (Condephaat), em dezembro de 1982". O inquérito foiaberto no início do ano, por iniciativa do procurador DanielFinc, a partir de uma reportagem publicada no jornal O Estadode S. Paulo no dia 20 de abril sobre o anteprojeto deconstrução do Centro de Lazer. A frase - "reinventar o Brasil e reinventar o mundoinfelizmente não está ao nosso alcance" - encerra a nota doGrupo SS.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.