Zaragoza lança livro e expõe na Faap

A vida de José Zaragoza se confunde com a história da publicidade do País. Ele saiu da Espanha e chegou ao Brasil em 1952, tempo em que fazer propaganda era quase sinônimo de traduzir para o português o material que vinha pronto da Europa e dos Estados Unidos. Letra Z da agência DPZ, José Zaragoza foi um dos responsáveis pela transformação da publicidade brasileira, que ganhou identidade própria nos anos 80 e 90 e se tornou referência no mundo. Criou personagens que entraram para a história da propaganda, como o baixinho da Kaiser. Ele reuniu suas histórias e principais campanhas no livro Zaragoza, Layoutman, que será lançado hoje na FAAP, às 20h. O espaço também vai abrigar, até dia 27, uma exposição sobre o livro com 500 trabalhos feitos pelo publicitário em 50 anos de carreira. Primeiro presidente do Clube de Criação, Zaragoza diz que a publicidade brasileira está correndo o risco de perder sua característica única, que demorou anos para ser conquistada. "Falta ousadia nas campanhas de hoje porque todos têm medo. Temem o cliente, a globalização e a reação alheia. O medo não faz bem para a comunicação", critica. Ele próprio se lembra de como era trabalhar com tal sentimento. Várias campanhas que fez nos anos 70 - que estão no livro e na exposição - foram censuradas. "Mas aquela foi a melhor época para a publicidade. A gente precisava ser mais inteligente que o censor para conseguir fazer o trabalho sem a interferência dele".

Agencia Estado,

02 de abril de 2003 | 11h11

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.