Zapping faz festa irreverente no fim da SPFW

Thaís Losso é PHD em fazer desfile-festa para encerrar o SPFW. Ela mudou de grife, mas não mudou em nada. Saiu da Cavalera e foi para a Zapping, e levou para a etiqueta de Renato Kherlakian toda irreverência que sempre pontuou seu trabalho. Até uma fila de gente sentada à frente da primeira fila foi liberada. Último dia, último desfile, vale tudo. E o que se viu foi um show de animação, por onde passaram personagens saídos do universo nonsense - de filmes trash de terror até o reality show dos Osbournes. A agitação é tanta, a alegria é tão contagiante, que fica quase impossível prestar atenção às roupas. Melhor registrar que na passarela da Zapping tem roupas para todo mundo. Altos, magros, lindas, feias, baixinhas, elegantes, desencanados, fashionistas em surto descontrol, todo mundo pode tudo na Zapping. Até as gordinhas, sempre rejeitadas pelo mundo da moda, cruzaram a passarela, algumas delas figuras conhecidas da platéia, como a jornalista Ana Lucia Zambon. Penelope Nova, da MTV, também estava lá. Sim, todas as jovens que não fazem dieta, que tem um corpinho mais normal, vão poder entrar na Zapping e comprar uma roupinha moderna, em modelagens generosas. E tem sainhas de oncinha, muitos jeans em construções inéditas - como o vestidão usado por Ana Claudia Michels, tipo sereia do índigo blue. Registre-se também as viúvas negras de Thaís, linda entrada com direito a sainhas black jeans e casacões de pelúcia. Muitas listras, em combinações harmoniosas de cores (fofo o bege com azul claor), muito xadrez, muita, mas muita cor mesmo, ajudam a construir o inverno 2004 da Zappping. Bem, o inverno 2004 de Thaís Losso, esteja ela onde estiver.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.