OLI SCARFF/AFP
OLI SCARFF/AFP

Yves Saint Laurent ganha grande exposição no Reino Unido

'O Estilo É Eterno' traz 50 peças do estilista francês

O Estado de S.Paulo, O Estado de S. Paulo

10 Julho 2015 | 20h18

O homem e seu estilo único de vestir e, por que não, viver. Yves Saint Laurent, mestre do universo fashion morto em 2008, aos 71 anos, recebe hoje, 11, uma grande homenagem do museu britânico Bowes Museum, localizado no norte da Inglaterra, em parceria com a Fundação Pierre Bergé. A exposição Yves Saint Laurent: Style Is Eternal (cujo nome pode ser traduzido, de forma livre, como ‘Estilo é Eterno’), chega para escancarar vida e a obra do francês que revolucionou a forma de se vestir. 

O título da exposição, por si só, já funciona como uma homenagem. É retirado diretamente de um frase icônica de Saint Laurent: “A moda passa, o estilo é eterno”, disse o fashionista, certa vez. A ideia da exposição tão ampla é evidenciar justamente isso, a eternidade do estilo com a marca dele. Trata-se da primeira mostra de tal magnitude sobre Saint Laurent em todo o Reino Unido, com o intuito de destacar justamente os elementos conhecidos por definir a grande influência do estilista na indústria ao longo de quatro décadas. 

Saint Laurent passou por um dos grandes estúdios de moda, chefiado por Christian Dior, até crescer a ponto de explodir, em 1962, quando se lançou em “carreira solo”, por assim dizer. Ao longo de 40 anos, Saint Laurent era a mente criativa, enquanto Pierre Bergé cuidava dos negócios da marca. 

Em 1966, Saint Laurent inaugurou sua primeira butique de prêt-à-porter sob o nome dele, abrindo o caminho para a moda que conhecemos hoje. Apaixonado pelas artes e colecionador, Saint Laurent homenageou diferentes artistas ao longo das décadas, desde 1965. Coleções de alta-costura bebiam de fontes de vestidos Mondrian, prestou tributos a Diaghilev e Picasso em 1979 e a Matisse, Cocteau, Braque e Van Gogh na década de 1980 - como se poderá ver nessa mostra no The Bowes Museum. 

O curioso é reparar que, em 12 anos, Saint Laurent foi capaz de revolucionar o universo fashion para sempre: o casaco trespassado e o trenchcoat (impermeável) em 1962; o primeiro smoking em 1966; a jaqueta estilo safári e o primeiro terninho em 1967; o jumpsuit em 1968. Pronto. Em pouco tempo, o guarda-roupa feminino estaria marcado para sempre pela criatividade - e estilo, obviamente -, de Sain Laurent. 

A exposição trará uma seleção desses trajes icônicos, mas não vai parar na obra criada pelo estilista. A ideia de Style Is Eternal é ir além e mostrar a marca deixada por ele, acrescentando outros itens da moda que foram claramente influenciados pelo traço ousado de Saint Laurent. 

“A Fundação Pierre Bergé está comprometida a promover o trabalho de Yves Saint Laurent de forma internacional. É imensamente excitante começar essa empreitada com esta primeira exibição no Reino Unido”, disse Bergé, em comunicado publicado pelo site da revista Vogue. “Se Chanel deu às mulheres a sua liberdade, foi Yves Saint Laurent que as tornou mais poderosas”, completou. 

Mais conteúdo sobre:
modaYves Saint Laurent

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.