Divulgação
Divulgação

Yusef Lateef, lenda do jazz, vem pela 1ª vez ao Brasil

A exemplo de Sonny Rollins e Dave Brubeck (90 anos), ele é um dos remanescentes da era de ouro

AE, Agência Estado

02 de fevereiro de 2011 | 10h34

Aos 90 anos, desembarca em São Paulo, no Sesc Pompeia, neste sábado,12, um gigante do jazz, o sax tenor e flautista Yusef Lateef, nascido William Emanuel Huddleston em 1920 em Chattanooga, Tennessee. Ele integrou os grupos de Dizzy Gillespie, Charles Mingus e o Cannonball Adderley Sextet. É a primeira vez de Lateef no Brasil.

A exemplo de Ornette Coleman (80 anos), Sonny Rollins (80 anos) e Dave Brubeck (90 anos), ele é um dos remanescentes de uma era de ouro do jazz. Poucas coisas são tão referenciais no gênero quanto o estilo macio de Lateef na música Theme from Spartacus. Qualquer coisa que se ouça dele entre 1940 e 1970 é imediatamente reconhecível - é a própria expressão do estilo no jazz. Mas ninguém espere que ele chegue ao Sesc Pompeia tocando Take the A Train. "Eu não toco mais standards", disse Lateef, falando por telefone, de Nova York.

Compositor, escritor, artista visual, filósofo, músico, o dr. Lateef foi agraciado, no ano passado, com o título de American Jazz Master pelo National Endowment for the Arts, o Fundo Nacional de Cultura dos Estados Unidos. "Yusef Lateef tem sido uma fonte de inspiração para o mundo da música durante muitos anos. Um muçulmano devoto, Yusef é adorado por cristãos, judeus, budistas, hindus e as pessoas de todo tipo ao redor do mundo. Ele tem tido um enorme impacto espiritual em todos nós e sempre criou grande música", disse dele Sonny Rollins.

"Não toco mais standards porque a supremacia dos standards fez com que a evolução ficasse em segundo plano, a música se tornou muito típica", afirmou o artista, que fará seu show em São Paulo com Rob Mazurek (trompete), Jason Adasiewicz (vibrafone), William Parker (baixo), Thomas Rohrer (rabeca) e Maurício Takara (percussão).

Segundo Lateef, o que o mantém em atividade aos 90 anos é a curiosidade existencial. "O que eu procuro é mergulhar dentro daquilo que sou", disse. "O que me mantém ativo é a busca do significado do presente." Ele começou aos 18 anos - ou seja, já está há mais de 70 anos na ativa. "Da minha juventude, eu me lembro do prazer. Tocar com pessoas como Roy Eldridge e Dizzy Gillespie foi puro prazer. Uma sensação maravilhosa." As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Yusef Lateef - Sesc Pompeia (Rua Clélia, 93). Tel. (011) 3871-7700. Dias 12 e 13/2 (sábado, às 21h; domingo, às 18h). Ingressos: R$ 32, R$ 16 (meia-entrada) e R$ 8 (comerciário).

Tudo o que sabemos sobre:
músicajazzYusef Lateef

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.