Yoko Onu e EMI retiram processo sobre música de John Lennon

A viúva de John Lennon, Yoko Ono, e a EMI Records, a quarta maior gravadora do mundo, desistiram de um processo de direitos autorais que moviam contra os produtores de um documentário que usou trechos da canção "Imagine" sem autorização. A retirada se segue às tentativas não-sucedidas de Yoko Ono e da EMI de proibir o documentário da Premise Media Corp "Expelled: No Intelligence Allowed", devido a um clipe de 15 segundos feito com a música. "Achamos que ficou claro, desde o começo, que os nossos clientes tinham todo o direito de usar "Imagine" como usaram e estamos felizes que eles mantiveram este direito", disse Anthony Falzone, advogado representante da Premise no caso, em comunicado. O documentário fala sobre uma alegação de discriminação contra cientistas e professores que apóiam o design inteligente como alternativa para a teoria evolucionista de Darwin. Em seu blog, Falzone disse que a música não aparece na versão em DVD do documentário, já que o abandono do processo aconteceu tarde demais. "A simples pendência desse caso fez com que o distribuidor do DVD não lançasse o filme inteiro -- a versão que inclui a parte com 'Imagine'", disse Falzone. (Reportagem de Ajay Kamalakaran em Bangalore)

REUTERS

08 de outubro de 2008 | 10h04

Tudo o que sabemos sobre:
GENTEPROCESSOYOKOONO*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.