Yoko Ono tirou a roupa hoje em Paris

Yoko Ono repetiu nesta segunda-feira, em Paris, seu lendário ato da década de 1960, quando convidou a platéia a cortar pedaços de sua roupa, pela paz mundial. Ono, de 70 anos, sentou-se em um banquinho colocado em um palco do teatro Ranelagh de Paris e pediu para cada espectador subir em silêncio as escadas, cortar uma tira de sua roupa e enviá-la ao seu amado (a). Cerca de 200 pessoas responderam ao convite de Yoko, vestida com uma saia de seda preta e uma blusa de mangas largas da mesma cor. Entre eles, Sean Lennon, de 27 anos, seu filho com John Lennon. Ao final do ato, que durou uma hora, a artista vanguardista nascida no Japão ficou sentada no banco vestida somente com a roupa de baixo. Um ajudante entrou depois no palco e entregou-lhe uma bata."Só vim aqui para pedir às pessoas que imaginem a paz mundial e para dizer-lhes que as amo", disse Yoko à TV da Associated Press, durante entrevista após a performance. "Cremos em um mundo pacífico e espero que essas ocasiões ajudem". Yoko repetiu o famoso ato de 1964, no Japão, no qual cativou a imprensa e os críticos de arte. Fez o mesmo um ano depois, no Carnegie Hall de Nova York - antes de se casar com John Lennon. Eles se conheceram em 1966 e se casaram em 1969."Após as transformações políticas no ano seguinte ao 11 de setembro, me senti terrivelmente vulnerável, como se a brisa mais ligeira pudesse arrancar-me lágrimas", escreveu Yoko na apresentação do ato. Acrescentou que representava sua esperança de paz no mundo. Ao permitir que pessoas estranhas se aproximassem dela cortando tiras de sua roupa, Yoko disse que buscava mostrar que nesses tempos "precisamos confiar nos demais".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.