Xingu mais que triplica a sua bilheteria como minissérie na TV

Só na Grande São Paulo, a esteia de Xingu em formato de minissérie mais que triplicou a bilheteria alcançada pelo título de Cao Hamburger no cinema. Como filme, Xingu fez pouco menos que 400 mil ingressos. Em sua estreia na Globo, anteontem à noite, bateu nos 16 pontos de média no Ibope em São Paulo, o que equivale a 960 mil domicílios. A considerar a presença de mais de um espectador diante de cada TV, essa audiência vai além de 1,2 milhão de público. Restam ainda três capítulos, a serem exibidos até amanhã, e só a soma final, no âmbito do Painel Nacional de TV do Ibope (PNT), dirá em quanto a TV beneficiou um produto cuja bilheteria do cinema ficou aquém das expectativas de seus produtores.

Cristina Padiglione, O Estado de S.Paulo

27 de dezembro de 2012 | 02h06

Com Felipe Camargo, Caio Blat e João Miguel, Xingu conta a trajetória dos irmãos Villas-Bôas a partir do momento em que se alistam para a Expedição Roncador-Xingu, em 1943.

A seguir. A Globo vai repetir a experiência de fatiar filmes em minissérie, com coproduções que bem ajudam a pagar a conta. Um título que está pronto para chegar ao cinema no primeiro semestre de 2013 é Rouge Brésil. Da Conspiração, a obra tem coprodução francesa e canadense, envolvendo Globo Filmes e Globo, onde será vista como minissérie. Baseado no livro homônimo do francês Jean-Christophe Rufin, o enredo narra a expedição de Nicolas Durand de Villegaignon ao Brasil nos anos 1550 e sua luta para criar uma colônia, a França Antártica, no Brasil. O contexto inclui as batalhas com Portugal, a fundação do Rio de Janeiro e a formação da identidade brasileira.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.