Reprodução
Reprodução

'Xingu' integra a mostra Panorama do Festival de Berlim

Embora remota, ainda há chance - a lista de filmes que integram a competição do 62º Festival de Berlim, divulgada nesta domingo, 22, pela organização do evento, somou mais sete filmes aos 15 que já eram conhecidos. São agora 22 títulos, incluindo 17 que vão concorrer ao Urso de Ouro e Dieter Kosslick, o poderoso diretor-geral da Berlinale, anuncia que mais dois serão anunciados nos próximos dias. Alguma chance de o Brasil concorrer em Berlim, onde "Central do Brasil", de Walter Salles, e Tropa de Elite, de José Padilha, já receberam o prêmio máximo (além de Ursos de Prata de filme e interpretação em diferentes edições)? Na verdade, o Brasil já está em Berlim, e na competição. O representante português, Tabu, de Miguel Gomes, tem um crédito de coprodução para o Brasil e o País também estará na importante seção Panorama com Xingu, de Cao Hamburger.

AE, Agência Estado

23 de janeiro de 2012 | 10h46

Os 22 filmes representam Alemanha, Brasil, Canadá, República Checa, China, Dinamarca, Espanha, EUA, Filipinas, França, Grécia, Inglaterra, Hong Kong, Hungria, Indonésia, Itália, Irlanda, Noruega, Portugal, Rússia, Senegal, Suécia e Suíça. Uma exibição do novo thriller de Steven Soderbergh, "Haywire" - pós-Contágio -, deve complementar o programa da competição. Numa nota oficial, Dieter Kosslick destaca: "Estamos contentes porque a imensa maioria desses filmes são pré-estreias mundiais, que avalizam a importância das Berlinale. São filmes para os tempos de crise que vivemos. Tratam de mudanças, recomeços, retratam a história do ponto de vista de todos que estão sofrendo a turbulência da era atual."

A Berlinale de 2012 começa em 9 de fevereiro e a sessão final, de premiação, será no dia 19. Os sete novos filmes anunciados são - À Moi Seule, de Fréderic Videau; Bel Ami, de Declan Donnellan; A Royal Affair, de Nikolaj Arcel; Flying Swords of Dragon Gate, de Tsui Hark; Rebelle, de Kim Nguyen; e Shadow Dancer, de James Marsh. Somam-se aos títulos que já vinham sendo anunciados em conta-gotas - Aujourd'hui, de Alain Gomis; Barbara, de Cristian Petzold; Captive, de Brillante Mendoza; Cesare Deve Morire, de Paolo e Vittorio Taviani; Just the Wind, de Bence Fliegauf; Childish Games, de António Chavarrías; Extremely Loud and Incredibly Close, de Stephen Daldry; Mercy, de Matthias Glasner; Jayne Mansfield's Car, de Billy Bob Thornton; The Flowers Of War, de Zhang Yimou; Postcards from the Zoo, de Edwin; L'Enfant d'en Haut, de Ursula Meier; Les Adieux a la Reine, de Benoit Jacquot; Metéora, de Spiros Stathoulopoulos; Tabu, de Miguel Gomes; e Home from the Weekend, de Hans-Christian Schmid.

O júri que vai atribuir o Urso de Ouro será presidido por Mike Leigh. A preocupação social, somada ao rigor estético, do diretor inglês de filmes como Segredos e Mentiras - vencedor da Palma de Ouro em Cannes - permite esperar que o festival confirme, mais que nunca, sua vocação política. O Urso de carreira será atribuído a Meryl Streep e a grande atriz, com certeza, estará entre as indicadas para o Oscar, que a Academia de Hollywood anuncia terça, por sua interpretação em A Dama de Ferro. Como todo ano, Berlim vai exibir um filme restaurado. O de 2012 é Outubro, clássico de 1927 do russo Sergei M. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Tudo o que sabemos sobre:
cinemaFestival de Berlimconcorrentes

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.