Woody Allen e o cego que vê melhor

Dirigindo no Escuro

LUIZ CARLOS MERTEN, O Estado de S.Paulo

12 de maio de 2013 | 02h09

13h40 no TEL. CULT

(Hollywood Ending). EUA, 2002. Dir. e interpretação de Woody Allen.

Se a arte do cinema consiste em dar a ver - uma história, uma situação, um personagem -, o engenho de Woody Allen nesta comédia está justamente em discutir a questão. É a história de diretor que fica cego. Ele não consegue ver, mas ouve, sente e termina fazendo, ó paradoxo, seu melhor filme. Repr., cor, 112 min.

VEJA TAMBÉM

Entre Dois Amores. EUA, 1985. Dir. de Sydney Pollack, com Robert Redford, Meryl Steep.

Drama, TCM, 13 h e 0h35, 161 min.

Durval Discos

Brasil, 2002. Dir. de Ana Muylaert, com Ary França, Etty Fraser.

Com., Canal Brasil, 22 h, 100 min.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.