Wolf Maya estréia comédia "Relax" em São Paulo

Diretor do musical O Beijo da Mulher Aranha, com Cláudia Raia e Miguel Falabella, Wolf Maya traz agora mais um espetáculo à cidade. Desta vez com direção e texto de sua autoria, a despretensiosa comédia musicada Relax estréia nesta quinta-feira para convidados no Teatro Bibi Ferreira, depois de longa temporada no Rio. Porém, Maya tem planos mais ambiciosos para São Paulo. Em breve, ele inaugura no novo Shopping Frei Caneca a primeira escola de formação de atores voltada especificamente para televisão. "O projeto de criação desse shopping é especial, um shopping pequeno, voltado para a área cultural. Ele vai abrigar, por exemplo, nove cinemas administrados pelo Adhemar de Oliveira do Espaço Unibanco", comenta o diretor.Há muito Maya acalentava o desejo de criar uma escola de atores no gênero. "Tentei muito fazer isso no Rio, mas não consegui." Aqui, conseguiu o apoio dos proprietários do Frei Caneca, que investiram cerca de R$ 1,5 milhão no projeto. "Será a primeira escola especializada em televisão do Brasil. Ali vai funcionar um curso regular, aprovado pelo Ministério da Educação com disciplinas como História da Arte e Literatura Dramática, além de técnicas de som e edição." Maya orientou a construção de dois grandes estúdios - 120 e 300 metros quadrados - equipados com sonorização, iluminação, ilhas de edição e isolamento acústico. "O objetivo é usá-los exclusivamente para formação", diz Maya. Há anos Maya vem ministrando oficinas de interpretação para TV. "Estava cansado desses cursos de um ou dois meses, que possibilitam um rendimento muito reduzido."O diretor vê vantagens na troca do Rio para São Paulo. "A cidade tem tradição de formação, algumas das melhores escolas de teatro estão aqui. Atores que tenham cursado uma dessas escolas terão prioridade na seleção." Maya considera necessária uma formação específica para a televisão ou o cinema. "Há muitas diferenças entre a linguagem do palco e das telas, seja de cinema ou de televisão."A formação precária pode ser um dos fatores responsáveis pelo excessivo naturalismo na linguagem da televisão brasileira. Um bom ator sem intimidade com a câmera muitas vezes pode soar falso ou exagerado, enquanto um não-ator descontraído - e bonitinho - acaba aprovado. "A vida média desses atores acaba sendo curta. Dura até que se esgote a exposição de sua personalidade ou atitude."Ele avisa que o currículo do curso, que deve ter duração de dois anos, não vai diferir muito de outras escolas profissionalizantes. "Os conceitos básicos são os mesmos para teatro, televisão e cinema. Mas o ator vai aprender a atuar em close para uma câmera. E o aluno ainda pode se interessar por outro tipo de formação técnica. Com o advento das câmeras digitais, esse é um mercado em expansão." O curso deve ter início em julho, com três turmas de 30 alunos cada uma. As inscrições estão abertas pelo endereço eletrônico swmaya@terra.com.br ou pelo telefone 231-1497, em São Paulo.Quem não está interessado em tornar-se ator, mas gosta de teatro, pode rir com Relax, que estréia sexta-feira para o público. "É um comédia de esquetes, com algumas músicas." Daniele Winits, Marcelo Saback e Malu Vale estão entre os 14 do elenco dirigido por Maya. Entre as cenas, uma virgem que se apavora na noite de núpcias e os ensaios de uma gravação de filme pornô.Relax - Comédia. Texto e direção Wolf Maya. Duração: 1h40. Quinta e sexta, às 21h30; sábado, às 20 e 22h30; domingo, às 19 horas.R$ 30,00 e R$ 40,00 (sábado). Teatro Bibi Ferreira. Avenida Brigadeiro Luís Antônio, 931, tel. 3105-3129. Até 29/7.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.