Winehouse aceita multa por posse de maconha e retira ação

Promotor do caso revelou que o processo foi fechado e não haverá julgamento na Corte de Apelação

EFE,

06 de janeiro de 2009 | 15h41

O julgamento na corte de Bergen, na Noruega, contra a cantora britânica Amy Winehouse por posse de maconha foi cancelado após a artista retirar a ação contra as autoridades norueguesas e aceitar a multa imposta em outubro de 2007, informou nesta terça-feira, 6, o canal TV2. O promotor do caso, Rudolf Christoffersen, confirmou ao canal norueguês que o processo foi fechado e que não haverá o julgamento na Corte de Apelação, cujo início estava previsto para o próximo dia 12 e que tinha sido adiado antes devido aos problemas legais na Inglaterra do marido de Winehouse, Blake Fielder-Civil. Winehouse, o marido e o cabeleireiro dela foram detidos em 19 de outubro de 2007 em um hotel de Bergen por posse de 7 gramas de maconha, durante a turnê européia da cantora. Os três passaram a noite na delegacia local e foram colocados em liberdade no dia seguinte, após assinar um documento pelo qual aceitavam uma multa de 4 mil coroas norueguesas (aproximadamente US$ 580) cada por posse ilegal e uso de narcóticos. Após sair da Noruega, Winehouse mudou de opinião e rejeitou a multa, alegando que desconhecia o conteúdo do papel que tinha assinado e que não teve acesso a um tradutor ou um advogado, o que a Polícia de Bergen negou.

Tudo o que sabemos sobre:
Amy Winehouse

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.