Wim Wenders homenageia Pina Bausch

É dança? É teatro? Ou é simplesmente vida? São esses os questionamentos que apresentam Pina, documentário em 3D do diretor alemão Wim Wenders, conhecido por filmes como Asas do Desejo (1987) e Paris, Texas (1984). Por aqui, a produção tem sessões de première a partir de sexta e estreia oficialmente no dia 23. Indicado ao Oscar 2012 de melhor documentário, Pina lança um olhar sobre o trabalho da coreógrafa alemã Pina Bausch (que morreu aos 68 anos, em 2009), por intermédio de sua companhia, a Tanztheater Wupperta, que segue na ativa e, inclusive, se apresentou em São Paulo em abril do ano passado.

AE, Agência Estado

14 de março de 2012 | 11h04

Um dos grandes nomes da dança do século 20, Pina revolucionou a arte ao levar ao palco o seu teatro-dança, uma forma de dançar que destaca o lado humanístico das coreografias, e aceita toda a sorte de movimentos e gestos. Suas coreografias eram criadas de maneira colaborativa e traziam inspirações das cidades por onde a artista passava. Outro ponto alto nas obras de Pina era o palco, que ganhava elementos externos, como água, terra e pedras gigantescas.

No filme, Wenders abre espaço para que as criações de Pina falem por si. Assim, não espere um documentário repleto de depoimentos. Eles até existem. Mudos em cena, os bailarinos falam, por meio de narração em off, sobre a experiência de atuar ao lado da coreógrafa. No entanto, são frases que não estão ali para explicar tudo. As coreografias é que são as estrelas.

Outro ponto que merece atenção é a utilização da tecnologia 3D em um longa dito de arte, uma vez que a maioria das produções que usam essa técnica até o momento tende a ser obras de aventura e animações, com foco no público mais jovem. Com isso, ao lado de Martin Scorsese, diretor do novo A Invenção de Hugo Cabret, Wim Wenders se torna um dos primeiros diretores de renome a ir contra o estigma das produções feitas em três dimensões e aproveitar, sem preconceito, o que de interessante a tecnologia pode oferecer. As informações são do Jornal da Tarde.

Tudo o que sabemos sobre:
documentárioPina Bausch

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.