Wilfredo Lam une elementos cubistas e afro

Um dos maiores nomes do surrealismo na América Latina, artista cubano traz sua obra gráfica a SP

Marina Vaz, de O Estado de S. Paulo,

26 Fevereiro 2010 | 05h00

Gravuras e desenhos em 120 trabalhos são expostos na Estação Pinacoteca. Foto: Divulgação

 

SÃO PAULO - Wilfredo Lam (1902- 1982) é um dos artistas cubanos de maior reconhecimento internacional. Mesmo assim, até agora sua obra só foi apresentada no Brasil em raras ocasiões, nunca em uma mostra individual. Quase 30 anos depois de sua morte, Lam: A Obra Gráfica exibe, a partir deste sábado, 27, um panorama de sua produção de gravuras e desenhos, com 120 trabalhos na Estação Pinacoteca.

 

Apesar de ligado ao surrealismo, o pintor e gravurista flertou com o cubismo de Pablo Picasso, de quem

foi amigo pessoal. Seus seres mágicos, com características humanas e animais, têm formas geométricas. A partir de 1939, Lam incorporou elementos da cultura afro-cubana. "Ele é uma figura híbrida e esses elementos afros dão um caráter único ao seu surrealismo", avalia o curador da exposição, Paulo Venâncio Filho.

 

Entre as séries, estão desenhos que ilustraram o livro ‘Fata Morgana’ (1941), do poeta André Breton, e gravuras inspiradas na tela ‘A Selva’, obra mais famosa de Lam, que integra o acervo do MoMA, de Nova York. Na mostra, a falta de telas é compensada por algumas coloridas (e belas) litografias, técnica de gravação por meio de pedras.

 

Onde: Estação Pinacoteca. Lgo. Gen. Osório, 66, Luz, 3335-4990. Quando: 10h/18h (fecha 2ª). Abre sáb. (27), 11h. Até 2/5. Quanto: R$ 6 (sáb., grátis).

Mais conteúdo sobre:
Wilfredo Lam

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.