Westerns. De Ford e Sergio Leone

Confusão pra Cachorro

LUIZ CARLOS MERTEN, O Estado de S.Paulo

28 de agosto de 2012 | 03h07

15H40 NA GLOBO

(Diamond Dog Caper). EUA, 2008. Direção de Mark Stouffer, com French Stewart, Luke Benward, Brittany Curran, Kelly Perine, Kevin Farley.

Ladrões de diamantes escondem fortuna na coleira de um cão. Garoto descobre a manobra e banca o detetive, tentando localizar os malfeitores. Mais uma daquelas aventuras em que o cachorro é mais inteligente que os homens. Reprise, colorido, 82 min.

Madrugada Muito Louca 2

22H45 NO SBT

(Harold & Kumar Escape From Guantanamo Bay). EUA, 2007. Direção de Jon Hurwitz, com John Cho, Kal Penn, Rob Corddry, David Krumholtz.

Mais uma aventura da dupla Harold & Kumar. Quando a namorada de Harold vai para Amsterdã, Kumar convence o amigo a ir atrás dela. Confundidos com terroristas, são enviados para a prisão de segurança máxima que o ex-presidente George W. Bush montou em Guantánamo. E aí, eles vão escapar? O tom é de comédia, mas a Guantánamo real não era (é) coisa de brincadeira. Reprise, colorido, 87 min.

Legalmente Chic

23 H NA REDE BRASIL

(Confessions of a Sociopathic Social Climber). EUA, 2005. Direção de Dana Lusting, com Jennifer Love Hewitt, Colin Ferguson, Natassia Malthe.

Jennifer Love Hewitt perde o emprego, o prestígio e, mesmo assim, resolve dar uma de 'penetra', entrando na festa fechadíssima de uma socialite. Para isso, ganha ajuda de amigos. O título original diz que a personagem é alpinista social e sociopata. Jennifer, de 500 Dias com Ela, é ótima. Já o filme... Reprise, colorido, 84 minutos.

Golda

0 H NA CULTURA

(Golda). Israel, 2004. Direção de

Ruth Walk.

Documentário sobre a lendária ex-primeira ministra de Israel. Espécie de 'dama de ferro' anterior a Margaret Thatcher, Golda já tivera uma cinebiografia ficcional em que o papel era interpretado por Ingrid Bergman. Justamente amanhã completam-se 30 anos da morte da mítica estrela sueca. Reprise, colorido e preto e branco, 60 min.

Meu Nome É Ninguém

3H35 NA REDE BRASIL

(Il Mio Nome é Nessumo/My Name

Is Nobody). Itália/França/Alemanha, 1973. Direção de Tonino Valerii, com Terence Hill, Henry Fonda.

Após criar aquele inesquecível vilão em Era Uma Vez no Oeste, o clássico spaghetti western de Sergio Leone, Henry Fonda voltou a vestir a capa de malfeitor em outro western - cômico - produzido pelo diretor italiano. O próprio Leone teria supervisionado a realização, o que explicaria os méritos do filme, mas Jean Tulard, no Dicionário de Cinema, põe os pingos nos iis: Valerii foi um pequeno mestre do spaghetti e Leone o escolheu porque era seu discípulo mais talentoso. Terence Hill, o Trinity, faz o 'ninguém' do título. Ele segue como sombra o rei do gatilho, Henry Fonda, numa paródia do homem das pistolas de ouro que criou em Warlock, Minha Vontade É Lei, de Edward Dmytryk. Veja porque o programa é bom. Reprise, colorido, 112 min.

TV Paga

Rio Grande

20 H NO TELECINE CULT

(Rio Grande). EUA, 1950. Direção de John Ford, com John Wayne, Maureen O'Hara, Ben Johnson, Harry Carey Jr., Victor McLaglen, Claude Jarman Jr., Chill Wills, Pat Wayne.

O fecho da trilogia da Cavalaria, que o mestre Ford realizou entre 1948 e 50. Embora não tenha a fama de Sangue de Herói (Fort Apache) nem de Legião Invencível, o filme é muito bonito, sobre oficial que comanda forte e vê ressurgir em sua vida a ex-mulher. Maureen O'Hara não aguenta que o filho, Claude Jarman Jr., tenha escolhido, como recruta, justamente o lugar em que seu pai, John Wayne, vive isolado. Ela segue o garoto e inferniza o ex-marido. O filme não tem muito conflito. É mais um olhar terno sobre o espírito cavalheiresco da Cavalaria, com aquele humor de que Ford gostava de impregnar seu trabalho. Para admiradores do grande diretor, é um regalo - eles vão amar a magnificência de Monument Valley, captada pelas lentes (em preto e branco) de Bert Glenn e Archie Stout. A trilha de Victor Young inclui canções do grupo The Sons of Pioneers. Reprise, preto e branco, 105 min.

O Beijo no Asfalto

0H15 NO CANAL BRASIL

Brasil, 1981. Direção de Bruno Barreto, com Tarcísio Meira, Ney Latorraca, Christiane Torloni, Lídia Brondi, Daniel Filho, Oswaldo Loureiro, Thelma Reston, Xuxa Lopes.

Homem socorre sujeito que foi atropelado, o moribundo lhe pede um beijo, ele concede e sua vida nunca mais será a mesma. Um repórter sensacionalista explora o caso e o sogro do protagonista o persegue implacavelmente. Completa-se este ano o centenário de nascimento de Nelson Rodrigues. O maior dramaturgo do Brasil construiu uma obra que coloca no palco a miséria da classe média do País. O tempo mudou - as condições sociais -, mas Nelson Rodrigues não perdeu a atualidade. O diretor Bruno Barreto, após fazer história com o sucesso de público de Dona Flor e Seus Dois Maridos, fez uma adaptação decente, mas não particularmente memorável, da peça. Seu maior acerto está no desenho da personagem de Lídia Brondi, a adolescente perversa (e mórbida). Reprise, colorido, 80 min.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.