Western com a marca de Andre DeToth

O Bicho Vai Pegar 2

LUIZ CARLOS MERTEN, O Estado de S.Paulo

09 de julho de 2012 | 03h07

16h20 na Globo

(Open Season 2). EUA, 2008. Direção de Matthew O'Callaghan.

O primeiro filme tinha um grande começo, mas depois a história esticada deixava um tanto a desejar. Aqui, muda a linha da trama, entram novos personagens e dessa maneira o diretor O'Callaghan tenta recriar o encanto. O cervo de um só chifre está apaixonado, mas tem de adiar o casamento porque Salsicha foi raptado e a palavra de ordem agora é se unir ao urso (e aos outros animais da floresta) para resgatá-lo. Reprise, colorido, 78 min.

Heróis

22H20 NA GLOBO

(Push). EUA, 2007. Direção de Paul McGuigan, com Chris Evans, Dakota Fanning, Camilla Belle, Cliff Curtis, Djimon Hounsou, Joel Gretsch.

O título original - Push, Empurre, ou pode ser também Avante! - não tinha muito apelo e a faz garoto com a habilidade de mover objetos com a mente. Ele se une a Dakota Fanning, que pode prever o futuro, para salvar Camille Belle. A atriz brasileira interpreta Alyssa, cujos poderes paranormais vão ser usados por agência do governo para destruir o grupo. Não espere grande coisa. Reprise, colorido, 111 min.

Birmânia VJ: Informando de um País Fechado

0H NA CULTURA

(Burma Vj: Reporter I Et Lukket Land). Dinamarca, 2008. Direção de Anders Ostergaard.

O diretor dinamarquês Ostergaard mostra como a internet e suas ferramentas sociais criaram uma rede de informação para driblar o controle sobre as notícias exercido pela ditadura de Mianmar, ex-Birmânia. O que ocorreu no país antecipou os mesmos mecanismos que levaram à mobilização popular e à explosão da chamada 'primavera árabe'. Interessante. Reprise, colorido, 56 min.

Como Ser Solteiro

2H30 NA GLOBO

Brasil, 1997. Direção de Rosane Svartman, com Rosana Garcia, Marcos Palmeira, Heitor Martinez Mello, Ernesto Piccolo, Cassia Linhares, Lilia Cabral.

Heitor Martinez faz jornalista com vagas pretensões a intelectual e que não dá certo com as mulheres. Marcos Palmeira é o amigo que, pelo contrário, é o maior Don Juan. O segundo tenta transferir sua bossa da conquista para o primeiro e ainda escreve um livro, um manual da sedução. As mulheres reagem. O cinema brasileiro, ainda no começo da chamada 'Retomada', ensaiava a comunicação com o grande público. O filme da diretora Rosane Svartman tem charme e uma ideia - não existe manual para questões do coração. Reprise, colorido, 92 min.

TV Paga

O Dia em Que a Terra Parou

15H30 NO TCM

(The Day the Earth Stood Still). EUA, 1951. Direção de Robert Wise, com Michael Rennie, Patricia Neal, Hugh Marlowe.

O canal Fox reprisou no fim de semana o remake de Scott Derrickson com Keanu Reeves, mas o filme novo, apesar dos efeitos, não desfruta nem de longe da reputação do antigo. Extraterrestre chega à Terra num disco voador para advertir a humanidade contra o perigo atômico. O diretor Wise sempre acreditou na ficção científica como ferramenta para refletir sobre o futuro da Terra. Já fazia isso há mais de 60 anos, colocando na tela o perigo atômico (que os militares dos EUA encampavam para conter os chamados 'vermelhos', os comunistas). A cena em que todas as luzes da Terra se apagam causou sensação na época. Reprise, preto e branco, dublado, 92 min.

A Quadrilha Maldita

20H15 NO TELECINE CULT

(Day of the Outlaw). EUA, 1958. Direção de Andre De Toth, com Robert Ryan, Tina Louise, Burl Ives, Alan Marshall, Nehemiah Persoff, Elisha Cook.

Na vertente do cultuado Matar ou Morrer, de Fred Zinnemann, o western de De Toth mostra o bando de Burl Ives se instalando numa pequena cidade, quando o chefe é ferido. A maioria da população acovarda-se. Quem vai pegar em armas contra os bandidos? O húngaro De Toth fez carreira em Hollywood, tornando-se, como diz Jean Tulard em seu Dicionário de Cinema, o quarto mosqueteiro caolho do cinemão (com John Ford, Raoul Walsh e Fritz Lang). Seus filmes de ação (westerns, thrillers) nunca negaram fogo. Reprise, preto e branco, 91 min.

Alegria

22 H NO CANAL BRASIL

Brasil, 2010. Direção de Marina Meliande e Felipe Bragança, com Tainá Medina, Rikle Miranda, Cesar Cardadeiro, Mariana Lima, Maria Gladys.

Garota cujo primo foi baleado (e desapareceu) vira super-heroína. A sinopse pode induzir o espectador a esperar outra cosa. Assista ao filme de peito aberto e curta o que a dupla de diretores oferece de liberdade narrativa (e clima insólito, especialmente no desfecho). Reprise, colorido, 100 min.

Os Incompreendidos

22 H NO TELECINE CULT

(Les 400 Coups). França, 1959. Direção de François Truffaut, com Jean-Pierre Léaud, Claire Maurier, Albert Rémy, Jeanne Moreau.

O longa de estreia de Truffaut foi premiado em Cannes e impôs a nouvelle vague como movimento de renovação do cinema francês. O relato autobiográfico mostra garoto em choque com a família (e o mundo). A série com Jean-Pierre Léaud como Antopine Doinel prosseguiu até a idade adulta do personagem. Reprise, preto e branco, 100 min.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.