Western clássico com Gary Cooper

Procurando Nemo

Luiz Carlos Merten, O Estado de S.Paulo

12 de julho de 2010 | 00h00

15H50 NA GLOBO

(Finding Nemo). EUA, 2003. Direção de Andrew Stanton.

Talvez a mais bela animação da Pixar (e um dos grandes desenhos do cinema). O visual se pauta por belíssimo uso da cor e se vale de tecnologia de ponta para reproduzir a fauna e a flora marítimas, tudo isso a serviço da história do peixinho covarde que descobre em si reservas de coragem ao atravessar oceanos em busca do filhote que desapareceu. Crianças e adultos poderão fazer diferentes leituras do filme e os segundos vão descobrir que se trata de obra rara, rica e complexa. Reprise, colorido, 101 min.

Operação Babá

22H05 NA GLOBO

(The Pacifier ). EUA, 2005. Direção de Adam Shankman, com Vin Diesel, Lauren Graham, Faith Ford, Brittany Snow, Max Thieriot, Chris Potter.

Como outros astros de ação - Dwaynne "The Rock" Johnson -, Vin Diesel tenta a comédia familiar por meio da história do sujeito que se vê às voltas com cinco garotos quando a mãe deles, viúva de um cientista que trabalhava para o governo, tenta decifrar o mistério da morte do marido. Entre um momento e outro de ternura, o astro investe num humor mais pesado e até bate e arrebenta. Não é para todos os gostos, mas seus fãs poderão se divertir, como se divertiram os de Arnold Schwarzenegger, quando ele fez Um Tira no Jardim da Infância. Reprise, colorido, 91 min.

Dom

1H55 NA GLOBO

Brasil, 2003. Direção de Moacyr Goes, com Marcos Palmeira, Maria Fernanda Cândido, Bruno Garcia, Malu Galli, Thiago Farias, Luciana Braga.

Versão modernizada de Dom Casmurro, de Machado de Assis, mostrando Marcos Palmeira como a nova versão de Bentinho, obcecado pelo que lhe parece a evidência do adultério da mulher. Encarnando o enigma dos olhos de ressaca de Capitu, Maria Fernanda Cândido fez uma estreia em alto estilo no cinema, tendo sido premiada no Festival de Gramado. Reprise, colorido, 91 min.

Amanhã

A Globo exibe amanhã, no Intercine, o preferido do público entre - Uma Noiva e Tanto, de Thomas Schlamme, com Mike Myers, Nancy Travis, Anthony LaPaglia, Amanda Plummer, Charles Grodin e Phil Hartman, sobre sujeito que, após várias tentativas frustradas para se casar, encontra a noiva ideal, só que ela deve ter algum defeito, mas qual? (EUA, 1993, fone 0800-70-9011); e Domingo Sangrento, de Paul Greengrass, com James Nesbitt, Allan Gildea, Gerard Crossan, Mary Moulds, Carmel Mccallion e Nicholas Farrell, sobre o massacre de civis irlandeses por soldados britânicos, quando participavam de uma passeata por direitos humanos (Inglaterra/Irlanda, 2001, fone 0800-70-9012).

TV Paga

O Homem do Oeste

20h05 no Telecine Cult

(Man of the West). EUA, 1958. Direção de Anthony Mann, com Gary Cooper, Julie London, Lee J. Cobb, Arthur O"Connell, Jack Lord, John Dehner, Royal Dano.

Anthony Mann fez uma memorável série de westerns com James Stewart que começou com Winchester 73, em 1950. Sua despedida do gênero se fez com este belíssimo filme, isto porque Cimarron, de 1960, não é bem um faroeste, como foi possível confirmar ontem na TV paga (no canal TCM). O curioso é que O Homem do Oeste foi meio que negligenciado na época e hoje é reconhecido como clássico. Entre seus admiradores, está um certo Jean-Luc Godard, que considera genial a cena em que o pistoleiro ameaça Julie London com a faca para pressionar o herói. Gary Cooper faz o bandido regenerado mas que pega em armas em defesa do ex-patrão, quando integrantes da velha quadrilha a todos ameaçam. É o mais "épico" dos westerns de Mann, antecipando El Cid, que ele fez na Espanha, em 1961. Reprise, colorido, 100 min.

Alcatraz - Fuga Impossível

22 h no TCM

(Escape from Alcatraz). EUA, 1979. Direção de Don Siegel, com Clint Eastwood, Patrick McGoohan, Robert Blossoms, Fred Ward.

A quinta e última parceria do astro Clint Eastwood com o diretor Siegel baseia-se numa história real ocorrida em 1962. Clint faz o homem que vai preso e é enviado para Alcatraz, de onde ninguém conseguiu escapar. Ele entra imediatamente em choque com o autoritário e sádico diretor do presídio. E foge, esculpindo sua fuga como uma obra de arte. É o tema embutido no cartaz da TV paga - o criminoso como artista. Muito bem filmado, e montado, o filme é 100% crível, como convém a uma história baseada em fatos. Se você achar que aquele ator num pequeno papel é Danny Glover, sim, é ele, em sua estreia. Reprise, colorido, 112 min.

Mata Hari

23h55 no TCM

(Mata Hari). EUA, 1932. Direção de George Fitzmaurice, com Greta Garbo, Ramon Novarro, Lionel Barrymore.

A estrela mais mitológica de Hollywood interpreta a mais mítica das espiãs. Ninguém, em sã consciência, pode acreditar que este filme tenha, remotamente, algo a ver com a realidade de qualquer guerra. Mas Garbo é tão magnética e sua cena de dança tão "exótica" que você não vai desgrudar o olho. Reprise, preto e branco, 90 min.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.