Warhol coleção à venda

Com 20 mil obras, fundação vai leiloar algumas peças para ajudar seu programa de bolsas de estudo

EVA SÁIZ , EL PAÍS / WASHINGTON, O Estado de S.Paulo

16 de setembro de 2012 | 03h09

A Fundação Andy Warhol de Artes Visuais anunciou no começo do mês a decisão de desfazer-se de sua coleção para reforçar o seu programa de bolsas de estudo para os centros e galerias de arte nos Estados Unidos. Parte das mais de 20 mil peças que integram o fundo da instituição se destinará a outros museus, e o restante será leiloado pela casa Christie's.

"Desde que a fundação foi criada, em 1987, sempre vendemos obras de Warhol, e destinamos os proventos ao nosso programa de bolsas. Agora, decidimos colocar o restante da coleção no mercado para incrementar nossa ajuda em razão dos cortes orçamentários do governo nas áreas de cultura e da redução dos financiamentos privados às instituições de arte durante a recessão", explica pelo telefone Joel Wachs, presidente da fundação.

Há alguns anos, a organização cedeu 4 mil peças do legado do artista para o lançamento do Museu Andy Warhol de Pittsburgh, sua cidade natal. Com a venda em leilões comuns e online, a instituição pretende arrecadar cerca de US$ 100 milhões.

A coleção contém obras representativas de toda a carreira de Warhol (1928-1987), desde seus primeiros anos como ilustrador até a última etapa de sua vida, captada por suas fotos Polaroid, passando pela Pop Art, algumas delas jamais expostas. Entre as mais conhecidas se encontram Three Targets, uma serigrafia em branco e preto que representa três alvos atravessados por disparos de bala, avaliada em US$ 1,3 milhão, ou Jackie, uma colagem da primeira-dama dos EUA atravessada por faixas vermelhas, cotado em US$ 200 mil. Não obstante, há peças mais acessíveis, que não chegarão a US$ 10 mil. "Queríamos tornar Warhol acessível ao público, e a casa Christie's nos permitiu realizar este desejo com sua proposta de promover leilões pela internet", explica Wachs.

Um quarto de século depois da morte do artista americano, suas obras poderão ser adquiridas pela primeira vez online. O primeiro leilão na rede está marcado para fevereiro, informou uma porta-voz da Christie's em coletiva à imprensa, na qual foi anunciado o acordo com a Fundação Andy Warhol. Esta é a segunda ocasião em que a casa de leilões se aventura na competição pela internet, depois da venda de objetos de Liz Taylor em dezembro de 2011. Sua rival, a Sotheby's, estreou na rede há mais de dez anos, até que, em 2003, rompeu seu acordo com o eBay.

O fato de que, no espaço de alguns meses, o mercado de arte se encherá de centenas de Warhols, das obras mais procuradas pelos colecionadores, alarmou o setor que teme que acabem se desvalorizando. Mas isto não preocupa Wachs, que insiste que o importante é que o trabalho do artista seja difundido pelo maior número de pessoas. "Andy é o artista mais conhecido do mundo e entendemos que os preços de saída devem ser razoáveis." No ano passado, todas as peças de Warhol que foram leiloadas arrecadaram US$ 346 milhões, segundo o banco de dados da Artnet.

O primeiro lote de obras da fundação será leiloado no dia 14 de novembro. Entre elas, encontra-se uma serigrafia com a imagem de Marlon Brando em O Selvagem, avaliada em US$ 20 mil.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.