V.S. Naipaul ganha o Nobel de Literatura

A literatura de V.S. Naipaul, nomeado hoje ganhador do Prêmio Nobel de Literatura de 2001, traz a marca de sua biografia estrangeira. Ele nasceu no em Chaguanas em Trinidad e Tobago, no Caribe, no seio de uma família procedente no norte da Índia. Aos 18 anos, mudou-se para a Grã Bretanha, estudou em Oxford, e fixou-se naquele país. Seu avô foi cortador de cana-de-açúcar e seu pai foi jornalista e escritor. Sobre o pai ele escreveu Uma Casa para Mr. Biswas, considerado uma de suas obras-primas e um dos primeiros livros de sua autoria publicado no Brasil, em 1987, pela editora Companhia das Letras, que tem ainda outros seis títulos em seu catálogo. Alguns, como este, esgotados: Guerrilheiros, Os Mímicos, Um Caminho no Mundo , O Enigma da Chegada: Romance em Cinco Partes.Naipaul escreveu mais de 20 livros e ganhou numerosos prêmios literários, entre eles o T.S. Eliot de Escritura Criativa, em 1986. Além disso, é doutor honoris causa pelas Universidades de Saint Andrew, Columbia, Cambridge, Londres e Oxford. A marca de sua literatura é o entrelaçamento que faz entre ficção e documentação, incluindo a reportagem, o que amplia seu território literário, estabelecendo fronteiras que só a ficção pode permitir entre países como Índia, África, América, Grã Bretanha e países islâmicos.Aqui, o leitor poderá conferir em seus livros publicados mais recentemente, o mergulho que o escritor faz no mundo muçulmano, como em Além da Fé: Indonésia, Paquistão e Malásia e Entre os Fiéis, ambos produto de uma longa viagem feita pelo escritor entre os anos de 1979 e 1981 a países convertidos ao islamismo. No segundo, ele tenta responder por quê a criação do Paquistão foi concebida como uma vitória da fé, e não como uma realização política. Enfoca a alma daquela gente e sustenta a tese de que é o século 20, e não a fé, que fornecerá respostas para os problemas relacionados a instituições, legislação e sistemas econômicos.Ou Índia: Um milhão de motins agora, em que ele traça um painel sobre este imenso país entremeado de entrevistas com cientistas, empresários, políticos e artistas. Trata-se de um romance do qual a realidade da miséria e dos palácios, dos conflitos do progresso em Bombaim, da influência portuguesa em Goa, dos partidos revolucionários na Caxemira constituem a essência do país."Naipaul é um navegante de mundos literários que está em casa quando está consigo mesmo, único em seu estilo. Ele ilumina o que os outros esqueceram, a história dos perdedores". Estes foram os comentários feitos a sua obra e divulgados pela Academia Sueca ao justificar a escolha de seu nome para receber US$ 943 mil no dia 10 de dezembro, no centenário da criação do Prêmio Nobel, por Alfred Nobel (1833-1896), e que foi concedido pela primeira vez em 1901 para cinco categorias: Física, Química, Fisiologia e Medicina, Literatura e o Nobel da Paz.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.