Vivendi compra editora americana por US$ 2,2 bi

A francesa Vivendi Universal comprou hoje a editora norte-americana Houghton Mifflin, especializada em livros educacionais, por cerca de US$ 1,7 bilhão em dinheiro e ainda assumiu a dívida da companhia, de US$ 500 milhões. A empresa francesa informou que a aquisição ajudará nas vendas, que devem chegar a US$ 2,2 bilhões neste ano. Com a compra, a Vivendi Universal Publishing passa do quinto para o segundo lugar no mercado mundial de livros educacionais.Os dois conselhos das companhias já deram o aval para a transação, que ainda tem que ser autorizada por dois terços dos acionistas extraordinários da Houghton, assim como pelos órgãos reguladores.Com o negócio, a empresa também abocanha uma das últimas companhias independentes do setor nos Estados Unidos. Há alguns meses, a Harcourt General, rival da Houghton, foi comprada pela Reed Elsevier PLC e pela Thomson Corp. por US$ 4,5 milhões. O negócio precisou da aprovação da União Européia.Nos EUA, a Vivendi é mais conhecida pelos negócios no ramo do entretenimento. A empresa comprou a Seagram no ano passado, além de estar prestes a fechar a aquisição da MP3.com por US$ 372 milhões.Na Europa, a empresa tem uma forte atuação na área de publicações, principalmente por causa da compra da Havas, adquirida em 1998. A unidade de publicações da Vivendi é a sexta maior do mundo no setor e conta com 21 mil funcionários. A empresa gerou receitas de US$ 3,05 bilhões no ano passado, o que representa 7% dos US$ 46 bilhões arrecadados com vendas em 2000.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.