Vítimas do nazismo reivindicam renda do livro de Grass

A renda obtida pelo último livro autobiográfico do prêmio Nobel da Literatura Günter Grass deveria ser revertida em favor das vítimas do terror nazista na Polônia, afirmou nesta sexta-feira uma associação de exilados dos territórios alemães que agora fazem parte da Polônia. No livro "Beim Haeuten der Zwiebel" (Descascando Cebolas), que chegou às livrarias da Alemanha na quarta-feira e vendeu em um dia cerca de 130 mil dos 150 mil exemplares da primeira edição, o escritor alemão conta como, aos 17 anos, foi destacado para servir por alguns meses na Waffen-SS, a tropa de elite de Hitler onde, segundo afirmou ontem à noite em uma entrevista para a televisão, não cometeu nenhum tipo de crime de guerra.Segundo Erika Steinbach, presidente da Associação dos Exilados dos Ex-territórios Alemães, a surpreendente revelação de Grass certamente contribui para as vendas de seu livro, mas ameaça as relações entre a Alemanha e a Polônia por causa das violências da época do Terceiro Reich. Por isso, Grass, que nasceu em Danzig (atual Gdansk, na Polônia) e também é cidadão honorário da cidade, "deveria, como gesto reconciliatório, reverter o dinheiro proveniente da venda do livro em favor das vítimas do nazismo na Polônia", disse Erika, deputada da União Democrata-Cristã (CDU), em uma entrevista ao jornal alemão "Bild Zeitung".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.